“Portugal é o nosso Lar”

Pedro Godinho, candidato pelo círculo europeu pelo partido Nova Direita

0
139
- Publicidade -

O candidato da NOVA DIREITA ao Círculo Eleitoral da Europa, Pedro Godinho, propõe várias medidas para o retorno dos Emigrantes, assinalando o valor sentimental do país.
“Portugal é o nosso lar, e devemos construir um país que acolha e honre os seus filhos”, afirmou Pedro Godinho, candidato pela Nova Direita ao Círculo Eleitoral europeu.
Destacando propostas para fortalecer os laços com as comunidades portuguesas no exterior, o técnico superior na Administração Pública, nascido em Lisboa e de raízes alentejanas e ribatejanas, apresenta uma visão clara e determinada sobre a diáspora portuguesa.

Pedro Godinho partilha uma trajetória académica marcada pela dedicação ao estudo. Graduado em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Nova de Lisboa, e com pós-graduação em Estudos Estratégicos e de Segurança, o candidato traz uma abordagem fundamentada para as questões que permeiam a diáspora portuguesa.
Godinho apresenta a sua visão para o regresso dos emigrantes, destacando a Nova Direita como um partido patriota comprometido com a recuperação da população portuguesa.
“O programa Regressar será expandido significativamente, e investiremos no ensino da Língua Portuguesa para manter viva a nossa cultura”, enfatizou.

O candidato lembra a inquietação perante a falta de visão estratégica na política nacional.
“Não podemos governar apenas para o presente; devemos orientar Portugal pensando nas futuras gerações”, declarou Godinho, sublinhando a necessidade de políticas de longo prazo.

No âmbito económico, Godinho propõe benefícios fiscais atrativos para aqueles que decidam regressar a Portugal, buscando criar um ambiente favorável ao retorno.
“Vamos contar com o apoio dos empresários portugueses na Europa para impulsionar a economia”, assegurou.

E reclama que a sua experiência no Ministério dos Negócios Estrangeiros lhe confere uma compreensão única dos desafios enfrentados pelas comunidades no exterior.
“Trabalhar dentro do Ministério [dos Negócios Estrangeiros] proporcionou-me lidar diretamente com as Instituições Europeias, complementando o meu conhecimento académico”, assegurou.

O candidato reitera a sua determinação em construir um futuro onde os portugueses se sintam gratos e orgulhosos pelo legado recebido.

“Estou aqui para pagar a dívida histórica para com os nossos antepassados”, concluiu, reafirmando o seu compromisso com a construção de um Portugal acolhedor e resiliente. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui