Estudo volta a comprovar que o TikTok é o app que mais prejudica o cérebro

Caso não tenha religião, um app pode ser a inversão necessária para crer que algo existe

0
151
Fabiano de Abreu
- Publicidade -

Desde o início da febre do TikTok, o Pós PhD em Neurociências e Biólogo Dr. Fabiano de Abreu Agrela vem tentando alertar sobre os riscos do uso excessivo deste aplicativo. Inclusive, chegou a escrever frases de impacto fazendo analogia ao app como: ” se não tem religião, o TikTok chegou para provar que o diabo existe, logo, Deus tem que existir “.

O cientista chegou a comentar que devemos ser os apóstolos para tentar amenizar o prejuízo causado por este aplicativo tão danoso, segundo ele.

Para ainda causar impacto, chegou a dizer que “se está a dançar para o telemóvel para ser visto, logo, há uma necessidade em aparecer acima do equilíbrio. Comece a pensar sobre a necessidade de procurar um profissional”.

Em 2018, Agrela publicou seu primeiro estudo relacionado ao mau uso da internet, onde comprovou que o excesso em redes sociais deixa a pessoa menos inteligente. Onde escreve sobre o sistema de recompensa no cérebro que leva ao alívio da ansiedade excessiva em nossa sociedade. Buscando na rede social uma brecha para este alívio de forma imediata. O que causa o que ele chama de “curto circuito” que afeta a cognição.

Um estudo recente publicado na revista científica NeuroImage descreve o algoritmo inteligente do TikTok como o mais nocivo dos apps.

No estudo consta que o seu algoritmo distorce o autocontrole impedindo o usuário de agir com racionalidade mediante à necessidade do prazer. “Já sabemos que o app ativa várias regiões no cérebro relacionado ao prazer e vício. Assim como prejudica a região frontal do cérebro que tem relação com o foco atencional, memória de trabalho, tomada de decisões, racionalidade, região relacionada à inteligência humana.” diz Agrela.

O estudo diz que o algoritmo deste aplicativo é o mais competente em reforçar o comportamento de consumo. “Com o tempo, vai moldando a anatomia do cérebro, alterando como consequência, trazendo prejuízos cognitivos que interferem na racionalidade e tornam os usuários mais impulsivos.” Diz Agrela que finaliza dizendo que são esses e outros danos causados por este aplicativo que podem ser irreversíveis principalmente quando desencadeado um transtorno. ∎

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui