Definidos os parlamentares brasileiros que irão integrar Parlamento do Mercosul

Parlasul tem tratado como prioridade as negociações do acordo entre o Mercosul e a União Europeia

0
206
Lista com os membros já foi publicada no Diário Oficial da União (DOU)
- Publicidade -

Setenta e cinco parlamentares brasileiros vão atuar nas comissões e no Plenário do Parlasul, com direito à voz e a encaminhamentos. O Parlasul é um órgão democrático e legislativo de representação civil dos países do Mercado Comum do Sul. Constituído oficialmente em dezembro de 2006, o colegiado abarca Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela. A sede fica em Montevidéu. A lista com os membros já foi publicada no Diário Oficial da União (DOU). A indicação contempla nove senadores e 27 deputados federais. A definição da bancada no Parlasul segue os mesmos critérios de representação partidária e dos blocos existentes no Senado e na Câmara Federal. Ao todo, o colegiado contará com dez Comissões Permanentes. 

Segundo apurámos, as reuniões ocorrem, pelo menos, uma vez a cada mês. Em data ainda a ser definida, a eleição do colegiado definirá o presidente e os dois vice-presidentes. O mandato é de dois anos.

Uma das representantes do Brasil será a deputada federal Rosana Valle, que foi escolhida pela Executiva Nacional do Partido Liberal (PL) para encabeçar o Parlasul. Esta deputada federal é também presidente da Executiva Estadual do PL Mulher de São Paulo e vai atuar na legislatura que seguirá até 31 de janeiro de 2027.

Em declarações à imprensa, Rosana, que está no seu segundo mandato no Congresso Nacional do Brasil, disse que a sua expetativa é “representar o parlamento brasileiro, discutir e articular assuntos em comum entre os países, além de trocar experiências voltadas ao desenvolvimento político, económico e social do continente”.

“Este é um cargo importante e que tem presença e voz nas decisões integradas do parlamento do Mercosul. A nossa intenção é compor a Comissão Permanente e colocar em pauta assuntos relevantes para os brasileiros. O nosso País precisa de uma participação ativa no Parlasul, emitindo pareceres, e fazendo encaminhamentos e a diferença, com direito a ações efetivas para a sociedade”, argumentou esta deputada.

Nos últimos anos, o Parlasul tem tratado como prioridade as negociações do acordo entre o Mercosul e a União Europeia. De modo geral, este órgão acompanha o processo de integração do bloco sul-americano e as atividades das presidências rotativas do bloco. ■ 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui