Sónia Crisóstomo volta a ser homenageada. Desta vez, pela Academia de Filosofia e Ciências Humanísticas Lucentina

“Moção de Honra ao Mérito” atribuída pelas diversas ações que desenvolve no campo social, empresarial e cultural

0
123
Sónia Crisóstomo mostra com orgulho o diploma
- Publicidade -

A escritora e empreendedora brasileira Sónia Crisóstomo foi homenageada pela Academia de Filosofia e Ciências Humanísticas Lucentina (AFCHL) com uma “Moção de Honra ao Mérito”, em Portugal, país onde vive e desenvolve diversas ações no campo social, empresarial e cultural.

Segundo apurámos, a homenagem surge em virtude das “ações desempenhadas por esta empresário em vários níveis, tendo como foco central o desenvolvimento humano e social”.

Na opinião de Sónia Crisóstomo, esta homenagem é um “orgulho, pois tenho sempre procurado manter a retidão nas minhas ações, ajudando ao próximo e, também, auxiliando no desenvolvimento social e humano e das corporações nacionais portuguesas, brasileiras e internacionais”.

Esta responsável conta também com outras distinções. É Diplomata Civil Humanitária, um título que lhe foi entregue em dezembro de 2023 numa cerimónia no Forte São Julião da Barra na Praia de Santo Amaro de Oeiras, em Portugal. A diplomação é da responsabilidade da Jethro Internacional, e se destaca por ser uma Chancela de Diplomacia Civil e Humanitária – Chaplaincy, cuja atuação “está legitimada por legislação internacional que habilita ação na sociedade de todos os continentes no sentido de atender e intermediar conflito, bem como fazer proposições frente aos interesses dos cidadãos na relação com o Estado, Governo, forças de segurança e entidades privadas”.

Sónia Crisóstomo foi ainda anunciada, durante evento no Palácio George V, Paris, em abril passado, vice-presidente de honra da Divine Academie Française des Arts Letres et Culture, ou Divina Academia Francesa de Artes, Letras e Cultura – em tradução livre -, onde, anteriormente, era Grande Embaixadora, “pelos seus relevantes serviços prestados às Artes, às Letras, à Cultura, ao Social e ao Empresarial”.

Esta empresária conta com um currículo versátil, já que é ex-bailarina clássica, mas trocou as sapatilhas pelo computador para desenvolver “uma próspera carreira” na área das tecnologias, tendo trabalhado em grandes empresas brasileiras e multinacionais, pelo que se define como plural.

Também em Paris, mas no Carrossel do Louvre, a homenageada apresentou, no ano passado, o livro “Mulheres Que Cruzaram Oceanos”, cujo um dos exemplares foi entregue ao embaixador do Brasil em Portugal, Raimundo Carreiro, duramente reunião em Lisboa no ano passado.

Mais recentemente, Sónia expôs duas das suas obras, no campo da pintura abstrata, nas paredes do solo sagrado das artes mundiais. As obras em questão serão leiloadas e, segundo apurámos, 100% do valor será doado para as obras sociais da Divine Academie, que tem como objetivo, para este ano, “a criação de bibliotecas para crianças em escolas de comunidades carentes”.

Sónia Crisóstomo participa em ações humanitárias apostando que a arte, a educação e a cultura, potencialmente, “evitam que o indivíduo se transforme num ser disfuncional na vida adulta”.

Recorde-se que a Academia de Filosofia e Ciências Humanísticas Lucentina foi fundada no dia 12 de dezembro de 2013 pelo seu presidente, o jornalista, escritor e psicanalista carioca, D. Cláudio Magnus Augustus de Saxe Altenburg Bragança de Lucena. A entidade destaca-se por ser uma Instituição Dinástica, um Património Histórico e Cultural da Real Casa de Lucena, signatária do Pacto Global das Nações Unidas (ONU), desde 03 de julho de 2014, e não recebe, de acordo com os seus responsáveis, nenhum apoio governamental ou do setor privado, sendo as suas atividades e projetos mantidos com “a colaboração de amigos, voluntários e colaboradores”.

“O nosso lema é: Promover a Educação Cultural e os Valores Humanos. Como signatária do Pacto Global das Nações Unidas, apoiamos as suas dez metas, entre elas, a defesa dos direitos humanos e a preservação do meio ambiente, visando ao desenvolvimento com educação e consciência social, fatores importantes para a sustentabilidade e o bem-estar da sociedade”, disse à nossa reportagem D. Cláudio Magnus Augustus de Saxe Altenburg Bragança de Lucena, presidente da entidade, que atua na realização de eventos com a finalidade de “prestigiar profissionais e voluntários das mais diversas áreas, através da outorga de Moções e Diplomas, além de outras honrarias, em reconhecimento aos seus méritos e atividades beneficentes”.

A Academia Lucentina tem no seu currículo diversas personalidades e autoridades civis, militares e religiosas homenageadas, tanto no Brasil como no estrangeiro, principalmente em Portugal, entre estas ilustres figuras públicas estão S.S.A.A.R.R. o Excelentíssimo Senhor D. Duarte Pio de Bragança, o Duque de Bragança, Chefe da Casa Real Portuguesa; e o seu irmão, o Infante D. Miguel de Bragança, o Duque de Viseu, ambos, Académicos Beneméritos desta Arcádia. Além de ter, entre os seus membros, Académicos Efetivos, Correspondentes, Honoríficos e Beneméritos.

“Através das suas atividades, realiza ações sociais voluntárias, eventos culturais, cursos livres profissionalizantes, e palestras de conscientização em áreas de interesse público, mediante parcerias com voluntários especializados nas áreas em que atuam. A Academia de Filosofia e Ciências Humanísticas Lucentina é um bastião na promoção da Educação Cultural e na Exaltação dos Valores Humanos”, finalizou o presidente da AFCHL. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui