Sofia Lourenço defendeu igualdade de género e combate ao extremismo em visita a Cabo Verde

Profissional da área da saúde e bem-estar, escritora e ativista social, Sofia Lourenço é presidente da Associação “Mais Lusofonia”, entidade atuante na integração da cultura dos países de língua portuguesa

0
771
Francisco Tavares, presidente da Câmara Municipal da Ilha Brava, apresenta Sofia Lourenço aos participantes no evento
- Publicidade -

A presidente da Associação “Mais Lusofonia”, Sofia Lourenço, marcou presença na Câmara Municipal da Ilha Brava, em Cabo Verde, para uma palestra sobre igualdade de género, o papel da mulher na sociedade e a necessidade de combater o extremismo. A visita desta responsável luso-brasileira, em junho, despertou “entusiasmo e reflexões profundas” entre os presentes, que se reuniram para ouvir as suas propostas.

No contexto das festividades municipais, a Câmara Municipal da Ilha Brava recebeu Sofia Lourenço, cuja palestra abordou temas voltados para o avanço social e a construção de uma sociedade mais justa. A igualdade de género, um dos pilares centrais da sua mensagem, foi destacada como um “objetivo necessário” para alcançar um desenvolvimento pleno e sustentável.

“Ela está de visita à Brava para inteirar-se da nossa realidade e também prepararmos, conjuntamente com a Câmara Municipal, a vinda, em outubro, de um grupo de dança da companhia que ela mesma lidera em Castelo Branco, Portugal, que irá visitar a Brava. Além de escritora, é uma mulher que faz muitas palestras sobre empoderamento feminino. Achamos muito bom ter no quadro das festas do município este tipo de iniciativas e conversas”, disse Francisco Tavares, presidente da Câmara Municipal da Ilha Brava.

Sofia Lourenço ressaltou a importância de eliminar o extremismo em qualquer sociedade que busca progredir. O seu discurso provocativo destacou a necessidade de rejeitar radicalismos e buscar o entendimento mútuo como forma de promover a harmonia social. Além disso, abordou a importância de envolver ativamente as mulheres no processo de tomada de decisões, reconhecendo o papel fundamental em todas as esferas da sociedade.

Durante a sua visita à Ilha Brava, Sofia Lourenço também teve a oportunidade de interagir com líderes locais, membros da comunidade e ativistas dos direitos das mulheres. Estes encontros proporcionaram um espaço de diálogo “aberto e franco” sobre as estratégias para combater o extremismo e promover a inclusão de género.

Além da palestra sobre o papel das mulheres na sociedade, Sofia Lourenço enfatizou o trabalho realizado pela Associação “Mais Lusofonia”, com sede em Castelo Branco, região Centro de Portugal, na promoção da cooperação e do intercâmbio cultural entre os países de língua portuguesa.

Sofia Lourenço e Francisco Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Praia

Através da sua liderança e das ações realizadas, a associação tem desempenhado um “papel fundamental no fortalecimento dos laços entre essas nações, incentivando o diálogo, a compreensão e o desenvolvimento conjunto”.

Nesse mesmo dia foi assinado um protocolo entre a Câmara Municipal da Ilha Brava, a Escola Profissional do Conservatório de Castelo Branco e a Associação “Mais Lusofonia”, com o intuito de promover o intercâmbio entre alunos das ilhas cabo-verdianas e Portugal, além da integração e apoio entre as três instituições. Esse mesmo protocolo foi assinado também entre as entidades portuguesas e a Câmara Municipal da Praia.

Novos projetos

O presidente da Câmara Municipal da Ilha Brava também comentou sobre o interesse do intercâmbio entre estudantes da Brava e a companhia de dança Sofia Lourenço. De acordo com o autarca, a ideia é ter alunos da Brava em Castelo Branco.

“É mais uma porta que se abre dentro do leque das formações possíveis que a Câmara Municipal tem procurado proporcionar para que tenhamos mais jovens bravenses melhor formados em diversas áreas”, completou Tavares. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui