Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo fará primeiro encontro em Lisboa a apostar na afirmação da nova Associação

Carlos Vinhas Pereira, responsável pela entidade, pretende que esta iniciativa ajude a consolidar os membros atuais, a auxiliar os membros mais recentes e a criar novas Câmaras de Comércio em outras partes do globo

0
469
Evento acontece dias 6 e 7 de junho na capital portuguesa
- Publicidade -

Entre os dias 6 e 7 de junho, acontece em Lisboa, Portugal, a primeira edição do Encontro Anual da Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo (RCCPM), com a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Rangel, e do ministro da Economia, Pedro Reis, entre outras autoridades e entidades.

No dia 6 de junho, quinta-feira, tem lugar a Assembleia Geral da RCCPM e um almoço-debate com a presença do ministro Paulo Rangel sob o tema “A importância da diáspora empresarial no investimento direto em Portugal, incentivos existentes ou futuro”.

Haverá, no início da tarde, a sessão de abertura do Encontro com a presença de Paulo Rangel, bem como do presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), Rui Nabeiro. O presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, terá participação, a ainda por confirmar, via vídeo conferência.

Está prevista a assinatura de um acordo de cooperação entre a Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP) e a RCCPM. O programa inclui ainda painéis temáticos sobre a atividade a curto e médio prazo da RCCPM. À noite, um jantar de gala decorrerá com o ministro da Economia de Portugal, Pedro Reis, que abordará o tema: “Sinergias de trabalho entre a RCCPM, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e as Associações empresariais e setoriais”.

No dia seguinte, 7, o programa conta com visita dos participantes à Assembleia da República (AR), receção do grupo pelo primeiro-ministro português, Luis Montenegro, no Palacete de São Bento, bem como almoço na AR e receção na Camara Municipal de Lisboa pelo presidente Carlos Moedas.

A parte da tarde conta com visita a Unicorn Factory de Lisboa, um projeto idealizado pela Câmara Municipal de Lisboa com o objetivo de “expandir o ecossistema empreendedor da cidade, de startups a scaleups e, potencialmente, unicórnios”, sendo considerado um “motor para o crescimento económico e uma força motriz de inovação, atraindo talento, novos projetos e investimento”. No final do dia, os participantes terão um jantar de encerramento do encontro.

Segundo Carlos Vinhas Pereira, presidente da Comissão Executiva da Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo, “houve uma grande aceitação e interesse por parte do governo português quando pedi para aceitarem o convite da RCCPM para os diferentes momentos deste primeiro encontro da nossa jovem associação”.

“Vamos poder ouvir e trocar com o ministro dos Negócios Estrangeiros, com o ministro da Economia, com o primeiro-ministro, com o vice-presidente do Parlamento português e com o presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Ou seja, é uma plateia de prestígio para uma primeira reunião anual desta nova associação RCCPM”, comentou este responsável, que sublinhou, ainda, que o Encontro terá a presença de 21 Câmaras de Comércio representadas pelos seus presidentes ou por membros da equipa da direção e administração”.

“Teremos uma comitiva presencial de 40 pessoas”, confirmou Carlos Vinhas Pereira.

“Vamos ter também uma dezena de Câmaras que vão participar nos nossos trabalhos remotamente. Podemos lamentar as muito poucas Câmaras de Comércio brasileiras, pois, desta vez, vão estar apenas presentes duas Câmaras. Vai estar a Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil, representada pelo Carlos Lopes. Sabemos que as deslocações de grandes distâncias não são fáceis e podemos compreender este número muito reduzido”, considerou Carlos Vinhas Pereira.

Em declarações à nossa reportagem, Carlos Lopes, presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil, disse acreditar ser importante contar com a presença brasileira na RCCPM numa “busca por maior representatividade na administração da entidade, reforçando o papel estratégico do país nas relações comerciais lusófonas”.

“Reconhecer e fortalecer o papel do Brasil na administração da RCCPM é essencial para o crescimento contínuo da nossa rede. Com uma administração inclusiva e diversificada, podemos garantir que a RCCPM continue a prosperar e a cumprir a sua missão de promover e defender as atividades económicas portuguesas no mundo,” afirmou Carlos Lopes, que é também Country Manager da SABSEG Brasil.

Papel do Brasil é “crucial” nas relações luso-brasileiras

Este responsável reforça que, “o Brasil, sendo a maior economia da América Latina, tem um papel crucial nas relações comerciais entre Portugal e os países lusófonos. Com 19 Câmaras de Comércio Portuguesas, o Brasil destaca-se não apenas pelo número de entidades representadas, mas também pela significativa contribuição para o fortalecimento dos laços económicos e culturais entre as nações”.

Para Carlos Lopes, “as Câmaras de Comércio Portuguesas no Brasil têm sido fundamentais na promoção de eventos, feiras e missões empresariais, facilitando acordos e parcerias entre empresas portuguesas e brasileiras”, além de se esforçarem no sentido de desempenhar “um papel essencial na mediação de acordos comerciais, contribuindo para o crescimento económico bilateral”.

De acordo com fontes, o primeiro Encontro anual da Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo está a ser visto pelos participantes como uma forma de “revitalizar o papel das Câmaras de Comércio no mundo”, como foco também na criação de “maior sinergia entre as entidades aderentes”.

“Penso que este primeiro encontro vai permitir construir os alicerces desta nossa nova instituição. Somos otimistas para consolidar os nossos membros, ajudar as mais recentes e auxiliar a criar outras Câmaras de Comércio em geografias onde ainda não estamos”, finalizou Carlos Vinhas Pereira. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui