Presidente da Fiocruz esteve no centro de investigação e hospital no Porto

0
108
Foto: CEiiA
- Publicidade -

O segundo dia da viagem da presidente da Fiocruz, do Brasil, Nísia Trindade Lima, a Portugal, dividiu-se entre visitas e reuniões ao Centro de Engenharia e Desenvolvimento (CEiiA), sediado em Matosinhos e ao Hospital São João, no Porto, um dos maiores complexos hospitalares de Portugal. No CEiiA, Nísia conheceu e vivenciou a experiência tecnológica aplicada em alguns projetos já em curso do 4LifeLAB, um laboratório colaborativo em conhecimento e tecnologia para a saúde que tem a Fiocruz, por intermédio do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), como uma das parceiras fundadoras.

A comitiva da Fiocruz, que além de Nísia incluiu o vice-presidente Mário Moreira, e o diretor do Instituto de Biologia Molecular do Paraná, Pedro Barbosa, foi recebida pelo presidente do CEiiA, José Rui Felizardo, pelo diretor de Sustentabilidade Organizacional, Gualter Crisóstomo, e por Jorge Cabral, membro do board do centro. Na visita, puderam conhecer todo o processo de criação e produção de um capacete médico inovador que, com ventilação especial, amplia condições de segurança e conforto para os médicos e outros profissionais envolvidos em procedimentos cirúrgicos.

Também foi apresentado o projeto do ventilador pulmonar Atena, iniciativa pioneira em Portugal desenvolvido e distribuído em tempo recorde durante a pandemia de Covid-19. Neste mesmo evento foi discutida a estratégia de validação e aplicação de dispositivo médico digital que afere sinais dos pacientes, que se conecta às redes wi-fi dos hospitais, auxiliando a gestão do hospital segundo parâmetros do protocolo de triagem de Manchester. Voltado para pesquisa e fabricação de produtos nas áreas da aeronáutica, automotiva e espaço, o CEiiA vem se especializando no desenvolvimento de dispositivos para aplicações em saúde, ativo complementar importante para uma cooperação promissora com a Fiocruz, que tem trajetória no desenvolvimento, validação e produção industrial para o SUS.

Ainda no CEiiA, Nísia conheceu melhor o Mareanas um dos projetos de mobilidade com a marca do CEiiA numa favela do Rio de Janeiro, mais especificamente na Maré, território vizinho ao campus da Fiocruz. Nísia conversou com José Silva, um dos 200 engenheiros do Centro de Engenharia português que desenvolveu um novo veículo para ajudar a quebrar as barreiras com o resto da cidade, uma bicicleta especial, espécie de veículo elétrico de hotspot de acesso à internet ambulante, em conexão com a rede de transportes convencional.

Encurtar distâncias para salvar vidas

Durante a tarde, no Hospital São João, Nísia Trindade Lima foi recebida pelo professor Fernando Araújo, presidente do Conselho de Administração do hospital, um centro hospitalar com forte ligação à Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e com importante vocação para inovação. A presidente da Fiocruz participou da apresentação do projeto que faz de um drone o mais novo transporte de medicamentos urgentes ou equipamentos de suporte avançado de vida. Nísia fez parte do corpo de autoridades, que contou ainda com a presença do secretário-adjunto de Estado da Saúde, Lacerda Sales, e assistiu à demonstração pública das atividades de teste de novas soluções de base tecnológica para resposta a situações de crise, catástrofe e emergência, onde a diminuição do tempo de reação é crítica para salvar vidas. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui