: Portugal é o país convidado de honra da Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Evento terá lugar de 2 a 10 de julho

0
66
- Publicidade -

Entre os dias 2 e 10 de julho, acontece a 26ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que conta com um pavilhão inteiro dedicado a Portugal. No ano marcado pelo bicentenário da independência do Brasil, Portugal é o convidado de honra desta edição da Bienal, que se realizará no Expo Center Norte, em São Paulo, Brasil.

Segundo as autoridades portuguesas, “o convite reflete uma relação singular e densa entre os dois países, com destaque para as áreas da cultura, economia e ciência. E, sobretudo, o estado atual das relações entre as respetivas comunidades, que cada vez mais cruzam o Atlântico de Portugal para o Brasil e do Brasil para Portugal. A participação portuguesa no evento tem como objetivo promover os autores portugueses, apoiar a cooperação entre editoras portuguesas e brasileiras, além de reforçar o conhecimento da cultura literária portuguesa no Brasil”.

Portugal escolheu como mote para a sua participação a frase “É Urgente Viver Encantado”, de Valter Hugo Mãe, um dos escritores portugueses mais conhecidos no Brasil e autor de obras premiadas.

De acordo com a nossa apuração, “a comitiva contará com a presença de 21 autores portugueses, incluindo escritores de Países Africanos de Língua Portuguesa e de Timor-Leste. A eles juntam-se dois renomados chefs, Vitor Sobral e André Magalhães”.

“Se inspirar na frase de Valter Hugo Mãe: É Urgente Viver Encantado reforça o poder da literatura na vida das pessoas e mostra que ela é uma fonte inesgotável para sermos livres e criarmos outras possibilidades de enxergar a realidade. A literatura possibilita usarmos a imaginação como ferramenta para combater e entender o que não está funcionando bem nesse mundo. Por meio dela é possível desfazermos amarras e vivermos essa liberdade de criar mundos encantados”, afirmou Isabel Lucas, curadora do espaço português.

O Pavilhão de Portugal, onde será desenvolvida uma programação especial, conta com uma área de 500m2, que inclui um auditório, espaço de encontro por onde passarão os autores portugueses e brasileiros, uma livraria, espaço multiusos com exposições e a réplica de um bondinho português, além de uma área destinada a programação infantojuvenil.

Organizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), a BILSP oferece uma programação multicultural que mescla literatura, gastronomia, cultura e negócios. Grandes nomes portugueses marcam presença nos espaços oficiais de programação do evento, como no Salão de Ideias, Arena Cultural, BiblioSesc, Cozinhando com Palavras e o Espaço Infantil.

Além de estarem presentes na programação que, diariamente, ocorrerá no pavilhão de Portugal, foram convidados a participar da programação destes espaços autores consagrados como Valter Hugo Mãe, Paulina Chiziane, primeira escritora africana a receber o Prêmio Camões, Matilde Campilho, grande sensação da Festa Literária Internacional de Paraty, Flip 2015, Gonçalo M. Tavares e José Luís Peixoto, vencedores do Prêmio Literário José Saramago, o historiador Rui Tavares, Kalaf Epalanga, Maria Inês Almeida, Afonso Cruz e escritores de uma nova geração como Joana Bértholo, além dos badalados chefs Vítor Sobral, proprietário da conhecida Tasca da Esquina, e André Magalhães, um dos grandes investigadores da gastronomia portuguesa.

A AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), em parceria com a ABIGRAF (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) e a APIGRAF (Associação Portuguesa das Indústrias Gráficas e Transformadoras do Papel), organiza a iniciativa “Portugal Inova”, que por meio de conversas e apresentações interativas, tem como objetivo disponibilizar ao mercado brasileiro informação sobre a oferta portuguesa do setor, destacando a sua componente de inovação.

“Além do diagnóstico das indústrias gráficas dos dois países e o seu posicionamento competitivo no contexto internacional, o evento pretende debater o panorama atual da indústria gráfica que passa por constantes e importantes mudanças, incorporando uma transformação digital que visa garantir a sustentabilidade do setor”, informaram fontes portuguesas ligadas ao evento.

Antes da abertura da Feira, será realizada uma rodada de negócios, na qual estarão presentes nove editoras portuguesas que participarão também de iniciativas promovidas no pavilhão de Portugal na BILSP. A participação de Portugal como país convidado na BILSP foi coordenada pelo grupo interministerial que integra o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua (Camões I.P.), a Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e o Turismo de Portugal (TdP) e pela Embaixada de Portugal em Brasília e o Consulado-Geral de Portugal em São Paulo.

Iniciativas no Pavilhão de Portugal

Auditório

Portugal apresenta uma programação própria, ampla e variada, num espaço exclusivo, com capacidade até 80 pessoas. Com curadoria de Isabel Lucas, o auditório será um espaço de diálogo luso-brasileiro dedicado à literatura, às artes, aos sabores, à música, à história e à contemporaneidade. Pelo auditório passarão todos os escritores e chefs que integram a comitiva portuguesa: Afonso Cruz, André Magalhães António Jorge Gonçalves, Dulce Maria Cardoso, Filipe Melo, Francisco José Viegas, Gonçalo M. Tavares, Joana Bértholo, José Luís Peixoto, Kalaf Epalanga, Lídia Jorge, Luís Cardoso, Maria do Rosário Pedreira, Maria Inês Almeida, Matilde Campilho, Paulina Chiziane, Pedro Eiras, Ricardo Araújo Pereira, Rui Tavares, Teolinda Gersão, Valério Romão, Valter Hugo Mãe e Vitor sobral. A programação deste espaço contará também com nomes como Itamar Vieira Júnior, Adriana Calcanhotto, Bernardo Carvalho, Laerte, Antonio Prata e Ruy Castro.

Exposição José Saramago, “Voltar aos passos que foram dados”

No ano do centenário do nascimento do escritor José Saramago, um dos nomes mais importantes da literatura em português e até hoje o único escritor de língua portuguesa a ter recebido o Prémio Nobel da literatura, o Camões, Instituto da Cooperação e da Língua e a Fundação José Saramago trazem a São Paulo uma exposição que apresenta marcos importantes da trajetória do autor. Os textos são do comissário do centenário, Carlos Reis, e o desenho gráfico de André Letria.

Exposição Prêmio Camões

O Prémio Camões, instituído por Portugal e pelo Brasil em 1989, é o maior prémio de prestígio da língua portuguesa. Com a sua atribuição, é prestada anualmente uma homenagem à literatura em português, recaindo a escolha num escritor cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento da língua portuguesa. A exposição sobre os vencedores do Prémio Camões vai poder ser vista em formato digital na Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Organizada pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, consta de um conjunto de 34 peças dedicadas a cada um dos vencedores. Uma das homenageadas é a moçambicana Paulina Chiziane, primeira mulher africana a vencer o prêmio, em 2021, e nome confirmado na programação de Portugal. Os conteúdos estarão disponíveis digitalmente em LCD e também poderão ser visualizados por meio de um QR Code. O design gráfico é assinado pelo português Luís Mendonça, doutorado em ilustração, professor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto e conhecido como ilustrador com o nome de Gémeo Luís.

Exposição SketchTour Portugal Reload

Durante a BIL SP22, o Brasil será o primeiro país a receber a exposição SketchTour Portugal Reload. A mostra é a segunda edição do projeto lançado em 2017 pelo coletivo de artistas Urban Sketchers com apoio do Turismo de Portugal, composto pela participação de 24 Sketchers portugueses e estrangeiros, que foram desafiados a retratar a cultura portuguesa através dos seus desenhos. Além da participação de vinte sketchers oriundos dos mercados prioritários para Portugal – Espanha, França, Itália, Reino Unido e Suécia – juntaram-se à viagem onze autores e escritores de referência da língua portuguesa, que descreveram o país e as suas sete regiões, ampliando os desenhos com as suas palavras e narrativas. A exposição contém, além dos desenhos e palavras, materiais recolhidos durante as visitas, uma biblioteca sonora e visual das várias regiões e o mapeamento destas experiências no território.

Bondinho 28

Símbolo histórico e cultural de Portugal, o bondinho proporciona um mergulho na vasta riqueza do país, destacando a genuinidade e autenticidade das suas regiões. Quem visitar esta réplica do bondinho, poderá passear pelas regiões vinícolas, pelo universo gastronómico, pela natureza, arte e cultura portuguesas. O bondinho faz também uma viagem pelas ruas históricas e pontos importantes de Lisboa no clássico trajeto do Prazeres 28.

Espaço Infantojuvenil

A área com programação dedicada ao público jovem e infantil é produzida pela EDP e trará atividades relacionadas ao posicionamento “Mudando Hoje o Amanhã” voltadas à temática “Oceano”. A ideia é que as experiências mostrem a força da energia da natureza para impulsionar um futuro mais sustentável, por meio de muita tecnologia e interatividade, com atividades de realidade virtual e aumentada, jogos, exibição de curtas, contação de histórias e muito mais.

Livraria

Espaço dedicado as edições portuguesas e brasileiras, não só aos autores presentes na Bienal, mas também aos clássicos e autores contemporâneos da literatura portuguesa, histórias para os mais jovens, e uma oferta de livros de história, arte, gastronomia, arquitetura, entre outras áreas. ∎

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui