Novo livro homenageia açorianos emigrados

José Andrade entrevistou 50 açorianos pelo mundo

0
167
“Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo”
- Publicidade -

O novo livro “Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo”, organizado por José Andrade, diretor regional das Comunidades no último governo dos Açores, será lançado nas seis cidades da Região Autónoma dos Açores, de 26 de fevereiro a 2 de março.

Esta obra de 560 páginas, editada pela chancela açoriana Letras Lavadas, reúne 50 entrevistas biográficas com personalidades que nasceram nos Açores e se afirmaram da Diáspora. 

O seu lançamento ocorrerá com seis sessões em seis cidades durante seis dias: Ponta Delgada (26 de fevereiro), Ribeira Grande (27 de fevereiro), Lagoa (28 de fevereiro), Horta (29 de fevereiro), Angra do Heroísmo (1 de março) e Praia da Vitória (2 de março).

A primeira sessão, na segunda-feira, 26 de fevereiro, tem lugar no auditório do Centro Cívico de Santa Clara. As duas seguintes sessões micaelenses ocorrem no dia 27, no pequeno auditório do Teatro Ribeiragrandense, e no dia 28, no Cine-Teatro Lagoense.

Na ilha do Faial, o livro é apresentado na quinta-feira, 29 de fevereiro, no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça, seguindo-se a ilha Terceira, nos dias 1 e 2 de março, com duas sessões no pequeno auditório do Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo e na Academia de Juventude e das Artes da Praia da Vitória, respetivamente. 

As seis sessões iniciam-se às 18 horas e são todas de entrada livre para o público em geral, incluindo a projeção de um filme de 30 minutos que sintetiza as 50 entrevistas biográficas.

“Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo” reúne entrevistas com Al Pinheiro, Ana Lopes, Andrea Moniz-DeSouza, Ângelo Garcia, Batista Vieira, Conceição Flores, Diniz Borges, Duarte Miranda, Dulce Maria Scott e Durval Terceira, bem como Eduardo Borba da Silva, Francisco Cota Fagundes, Francisco Resendes, Frank Souza, Idalina Gonçalves, Irene Blayer e Isidro Menezes.

O livro inclui igualmente entrevistas com Jácome Armas, João de Brito, João Luís Pacheco, John Correia, Jorge Ferreira, José António Morais, D. José Avelino Bettencourt, José Carlos Teixeira, José Francisco Costa, Luís Mesquita de Melo e Luís Miranda, além de Manuel Bettencourt, Manuel de Medeiros, Manuel Eduardo Vieira, Manuela Bairos, Marc Dennis, Márcia Sousa da Ponte, Maria Hortência Silveira, Maria João Dodman, Maria Lawton, Mário Silva e Mary Alsheikh.

Nellie Pedro, Nuno Moniz, Onésimo Teotónio Almeida, Paulo Jorge Cabral, Renata Rodrigues e Richard Machado são outras personalidades entrevistadas neste livro, a par de Sara Freitas, Tiago Domingues, Tony Cabral, Tony Goulart e Victor Santos.

Os 50 entrevistados reunidos neste livro nasceram em Santa Maria (1), São Miguel (23), Terceira (10), Graciosa (1), São Jorge (4), Pico (5), Faial (4), Flores (1) e Corvo (1) e vivem nos Estados Unidos da América (28), no Canadá (10), no Brasil (4) e na Bermuda (1), mas também na Arábia Saudita (1), nos Camarões (1), na Costa do Marfim (1), na Dinamarca (1), na Noruega (1), em Timor-Leste (1) e no Vietname (1).

Os entrevistados dos Estados Unidos residem nos estados da California (12), Massachusetts (7), Rhode Island (6), Indiana (2) e Connecticut (1), enquanto os do Canadá vivem nas províncias de Ontário (5), Quebeque (3), Columbia Britânica (1) e Manitoba (1). Os quatro entrevistados do Brasil estão radicados nos estados de Rio de Janeiro (2), São Paulo (1) e Rio Grande do Norte (1).

São 35 homens e 15 mulheres, entre os 32 e os 86 anos de idade, que se notabilizaram na Educação (13), na Economia (9), na Política (8), na Cultura (8), no Social (8) ou na Diplomacia (4) dos seus países de acolhimento, “mantendo sempre os seus Açores na saudade do seu coração”.

“São 50, mas podiam ser 50 mil”, como escreve José Andrade na abertura deste livro. “Os interessantes percursos de vida aqui apresentados resumem e assumem a determinação dos açorianos, a projeção dos Açores e a dimensão da Açorianidade”, acrescenta.

Para o autor, “esta homenagem a alguns dos mais notáveis é também extensiva a tantos outros menos notados, porque todos honram o bom nome dos Açores onde quer que se encontrem.” “Os Açores estão onde estão os açorianos!”, conclui.

As “Conversas da Diáspora” são uma iniciativa da Direção Regional das Comunidades do Governo dos Açores, que promoveu esta série de entrevistas biográficas, através das redes sociais, em todas as semanas de 2023. O interesse das entrevistas e a representatividade dos entrevistados merecem agora o registo público e perene desta coletânea editada pela Letras Lavadas.

Este livro foi escrito a várias mãos. José Andrade, diretor Regional das Comunidades, escolheu os convidados e conduziu as entrevistas, enquanto Davide Lopes, coordenador do Núcleo de Apoio às Comunidades, transcreveu as entrevistas e coordenou a equipa de produção técnica constituída por Elisa Costa, Raquel Rodrigues e Sofia Silva, técnicas superiores da Direção Regional das Comunidades.

Nas seis sessões de apresentação do livro “Conversas da Diáspora – 50 açorianos pelo mundo” estará igualmente disponível o livro “Transatlântico II – Açorianidade & Interculturalidade”, também da autoria de José Andrade, que foi lançado no passado mês de janeiro, em Ponta Delgada, com prefácios dos professores Lélia Nunes, Diniz Borges e José Carlos Teixeira, simbolizando os três maiores destinos da emigração açoriana, respetivamente, Brasil, Estados Unidos da América e Canadá.

Este livro é o 30º título da bibliografia de José Andrade, que inclui outras obras da mesma temática também editadas pela Letras Lavadas, como “Açores no Mundo”, publicado em 2015 com prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa, e “Transatlântico – As Migrações nos Açores”, lançado em 2023 e prefaciado por José Manuel Bolieiro. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui