“Não basta ouvir. Precisamos saber o que fazer com as queixas e dores que causam sofrimento”, argumenta psicólogo português em entrevista sobre saúde mental

"O grande desafio é ajudar as pessoas com ciência e não com opiniões", defende Ivandro Soares Monteiro, que explica os desafios atuais no campo da psicologia e no tratamento da saúde mental

0
528
Ivandro Soares Monteiro, psicólogo clínico e professor universitário português, lidera clínica renomada e multidisciplinar na cidade do Porto
- Publicidade -

Nos tempos que correm, os cuidados com a saúde mental têm conquistado cada vez mais a atenção dos utentes dos serviços de saúde no mundo. Temas como depressão, ansiedade, transtorno afetivo bipolar, esquizofrenia e outras psicoses, demência, deficiência intelectual e transtornos de desenvolvimento, incluindo o autismo, e fobias estão na agenda de trabalho dos psicólogos e psicoterapeutas em todos os países.

Em Portugal, não é diferente, já que a prevalência de transtornos mentais no país está entre as mais elevadas da União Europeia (UE), estimando-se que o problema afetasse cerca de 22% da população em 2019, segundo o estudo “Perfis de Saúde” dos países da União Europeia, divulgado no final de 2023, que resulta de uma parceria entre a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e o Observatório Europeu de Sistemas e Políticas de Saúde. Publicado bienalmente, esta foi a primeira vez que o estudo incluiu informações sobre a saúde mental.

Aspetos como a pandemia, as incertezas económicas, dificuldades no relacionamento interpessoal e o cenário nacional e global de conflitos políticos, sociais e bélicos suscitam novas formas de se trabalhar o tema da saúde mental, num campo ainda mais alargado do que o que é ofertado pelas terapias tradicionais.

É o caso das ações levadas a cabo pelo psicólogo clínico e professor universitário português Ivandro Soares Monteiro, que, além de promover palestras e de ter escrito o livro “Mudamos pelo que Fazemos”, lidera um projeto que visa auxiliar as pessoas nessa jornada da saúde mental.

A nossa reportagem conversou com este profissional para entender melhor este cenário, além de descobrir o dia a dia da sua clínica no Porto, em Portugal, e o perfil de quem está a procurar ajuda da área da saúde mental com a sua equipa. E este momento ganha especial relevância, quando a empresa do Prof. Doutor Ivandro Soares Monteiro, a EME SAÚDE, celebra 13 anos de existência, data que será assinalada num passeio de barco no rio Douro que irá reunir a equipa clínica com o intuito de “celebrar o crescimento estável e contínuo, manifestando uma gratidão a todos os clientes pela procura dos nossos serviços, selecionados e sustentados em competência e exigência”.

Por que é tão importante hoje em dia estar atento à saúde mental das pessoas?

A sociedade funciona com pessoas e é gerida por pessoas, pelo que, sem saúde mental, não temos uma sociedade civil saudável. É, por isso, fundamental ajudar cada pessoa a criar a sua autonomia e independência para uma civilização verdadeiramente capaz de crescer e funcionar democraticamente, ao invés de termos pessoas vulneráveis, que não se conhecem, que se anulam e não se podem expressar, o que facilita as desigualdades, o poder sem competência e abusos sem consequências por falta de responsabilidade. Quanto mais empoderarmos as pessoas no seu funcionamento, mais teremos uma sociedade madura. Neste sentido, a saúde mental é fundamental, pelo que a EME Saúde serve todos os seus pacientes e clientes, particulares e empresariais, com ciência, para ajudar a enfrentar os eventos de vida que nos causam dor e sofrimento, que interferem nos nossos objetivos e alteram o rumo das nossas vidas. Quando as transições, conflitos, lutos, perdas e momentos de défice nos “batem à porta”, é preciso desenvolver competências para enfrentar o que é inevitável na vida, para que consigamos desenvolver uma melhor adaptação e manter a funcionalidade, do que facilitar a rigidez que nos prende e vitimiza. Um psicólogo é sempre alguém disponível para ajudar a prevenir e intervir nos problemas, mas também um “treinador” de hábitos de vida saudável. É um especialista que faz e desenvolve o seu trabalho com base em ciência, e não com base na sua experiência de vida ou opinião pessoal. É isso que a EME Saúde entrega de valor às pessoas e é isto que sabemos fazer bem feito, graças à exigência e competência com que investimos no espírito da nossa equipa.

O que estes novos tempos trazem em termos de desafio para os profissionais de saúde na área da psicologia e saúde mental?

O grande desafio é ajudar as pessoas com ciência e não com opiniões, pelo que informar é dar poder que, cada um, possa tomar decisões de procurar ajuda, de quem sabe fazer com ciência e não conselheiros de opinião. Sem informação válida, infelizmente, perante as vulnerabilidades, vemos a população “comprar gato por lebre” com demasiada facilidade na área do comportamento e desenvolvimento social por falta de conhecimento e informação. Daí que informar é dar poder às pessoas para que possam fazer melhores escolhas para as suas necessidades de vida e saúde mental. A sociedade, graças à Internet e às redes sociais, enfrenta realidades e perceções com impacto real e preceptivo nunca antes visto, que tem aumentado a doença mental em todo o mundo. São precisos profissionais de saúde com competência para entregar estratégias e métodos de intervenção cientificamente sustentados. Não basta ouvir. Precisamos saber o que fazer com as queixas e dores que causam sofrimento. É esta a nossa missão na EME Saúde, desde 2011.

O que pode destacar nestes 13 anos de atuação da EME SAÚDE no Porto?

O que posso mais destacar é o espírito de equipa, dedicação e competência com que a seleção dos profissionais de saúde foi sendo feita ao longo dos anos para melhor servir as necessidades dos nossos clientes. Dado sermos uma clínica médica e de saúde mental ancorada numa filosofia kaisen e empreendedora, sabemos que não queremos competir nem crescer pela quantidade, mas antes e acima de tudo, pela qualidade, o que se reflete na crescente procura de clientes cada vez mais exigentes para podermos entregar o valor que entregamos. Graças ao crescimento sustentado desde 2011, a EME Saúde tem-se diferenciado pela competência e saber-fazer dos profissionais de valor, selecionados nas várias especialidades, com um atendimento personalizado junto de cada utente, para o/a servir melhor, nas mais importantes áreas da Medicina, Saúde (mental e física) e Bem-estar. Para além da área clínica, destacamos os reconhecimentos do nosso trabalho, assim como os investimentos que fizemos, desde certificações como a DGERT para formações, passando por treino de profissionais de saúde reconhecidos internacionalmente, e ainda com o convite e parceria com a CROWE Portugal (uma das dez maiores multinacionais mundiais) para liderarmos a Unidade de Consultoria Comportamental.

Quais são as linhas de intervenção e que serviços oferecem?

A área da saúde mental é a nossa maior força, dada a equipa de especialistas e psicoterapeutas em psicologia, psiquiatra e pedopsiquiatra. Temos também formação de profissionais de saúde com a Academia de Psicoterapia Interpessoal, assim como formação profissional na área comportamental para as empresas. Por último, facilitamos consultoria comportamental às direções de recursos humanos das empresas, em parceria com a CROWE, onde lideramos a Unidade de Behavioural Consultancy, para ajudarmos as empresas a ganhar mais com as mesmas pessoas.

Que ações desenvolvem em paralelo?

Depois de uma década com serviços clínicos voltados para os particulares, em 2014 começamos com estudos e intervenções-piloto na área de avaliação e intervenção nos riscos psicossociais, e, em 2018, decidimos avançar e implementar o nosso know-how às empresas, com o alargamento à área da CONSULTORIA COMPORTAMENTAL, e também com PALESTRAS & EVENTOS corporativos, fruto da experiência acumulada de 1 década de iniciativas próprias e em parceria com várias entidades. Este objetivo de intervir na área corporativa, deve-se ao facto de, no âmbito do apoio clínico e contacto com clientes particulares (empresários e profissionais liberais), verificarmos a crescente necessidade de aumentar a produtividade e o sucesso das empresas através da sua matéria-prima: A PESSOA. Para além destas ações, em janeiro de 2017, constituímos também a Academia de Psicoterapia Interpessoal para formar profissionais de saúde no âmbito deste modelo de intervenção, que vem dar continuidade a um projeto que iniciamos em 2006, com o Instituto Orasi (fundido com a EME).

Existe também uma área de formação, certo? Fale sobre o seu funcionamento e objetivos

A EME Saúde é uma empresa certificada pela DGERT para tudo o que envolve a nossa área de excelência, nomeadamente a área comportamental e saúde mental, pelo que tanto presencial ou online, facilitamos cursos de formação para profissionais de saúde (como é o caso do nível A de especialização em Psicoterapia Interpessoal certificado e reconhecido internacionalmente), assim como fazemos cursos e formação junto de empresas e na comunidade, assim como parcerias com empresas subcontratados, para levarmos a ciência do comportamento mais longe, contratando prestadores de serviço com experiência no mercado, numa lógica permanente de entregar valor e competência, e nunca querendo competir por preço.

Como avalia o crescimento da empresa?

A empresa tem tido um crescimento sustentável ao longo dos anos, sempre com uma equipa de gestão e administração atenta às necessidades do mercado, não querendo dar passos maior que as pernas, pelo que a nossa gestão analítica e com o apoio de uma equipa de consultoria na área da psicologia, gestão e economia, temos tido reconhecimentos por bancos e entidades como “Empresa Aplauso” (do BCP) ou preencher os critérios de uma empresa “Top Scoring” (que nos coloca nas 5% das melhores empresas portuguesas) durante anos consecutivos.

Por que estar sedeada no Porto?

Estamos sediados no Porto porque é a segunda mais importante cidade do país, e estamos no centro numa das ruas mais nobres e antigas da cidade do Porto – Rua Júlio Dinis, central para o apoio do tecido empresarial nas redondezas, para além dos fáceis acessos, quer de autocarros, metro e parques de estacionamento.

Atua em outras regiões e países?

Sim, atuamos em Portugal, nos países de língua oficial portuguesa e, praticamente, junto de todas as comunidades portuguesas distribuídas em todo o mundo, graças aos serviços on-line que temos vindo a desenvolver e com o projeto que tivemos a desenvolver para uma rede clínica online Stoicnet, que vai ser lançada este ano de 2024, como forma de operacionalizar ainda melhor o que já temos vindo a fazer desde 2018, e intensificado pela pandemia, pois um terço da nossa faturação já é on-line com uma grande tendência de crescimento, graças ao estatuto e procura que a EME Saúde conquistou ao longo destes 13 anos.

É uma empresa certificada em Portugal?

No âmbito da área clínica, estamos registados legalmente na ERS | Entidade Reguladora de Saúde, assim como na área da formação, somos uma empresa certificada pela DGERT | Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho. Em particular do nosso departamento da API | Academia de Psicoterapia Interpessoal, para além de ser formação reconhecida pela DGERT, é também certificada pela OPP | Ordem dos Psicólogos Portugueses, assim como reconhecida por entidades internacionais como o Interpersonal Psychotherapy Institute e International Society for Interpersonal Psychotherapy.

É autor do livro “Mudamos pelo que Fazemos”. O que exatamente está em pauta neste trabalho?

Sendo o livro “Mudamos pelo que fazemos” o meu terceiro livro, e sendo um apreciador e leitor ávido desde cedo, acredito que a escrita é uma das melhores ferramentas para nos conhecermos, assim como para aprender informação e cimentar conhecimento, para que depois possamos ser criativos e pensar na vida e criar soluções, devido à capacidade de articular, com sabedoria e lógica, o pensamento. Neste sentido, tenho de facto mais um livro a ser escrito, muito provavelmente mais técnico e com ainda mais bases científicas, que tanto poderá ajudar as pessoas a perceber a importância crucial da psicoterapia, como também ajudará os profissionais de saúde mental a perceber ainda melhor o modelo psicoterapêutico que me especializei. E gosto do conceito do deus Prometeu da mitologia grega: é bom tirar o fogo dos deuses e levar ao povo, como um bom estoico que segue com coragem e medo, e rejeita o lugar de vítima.

Nas suas palestras em Portugal e no estrangeiro, no que procura focar? E como tem sido a reação do público?

O meu foco é simples, mas fundamental para uma vida boa. O aumento do sentido de responsabilidade individual, ao mesmo tempo que rejeitamos o lugar de vítima. Faço estas palestras com ciência e exemplos de vida e algum humor, pois com a experiência de ensino universitário com os meus alunos de 2001 e com as palestras empresariais, percebi que quanto mais prática, objetiva e simples for a comunicação, mais conseguimos ajudar cada um a descobrir o seu caminho, porque ninguém pode ser responsável de forma permanente por ninguém. Isso seria uma irresponsabilidade e uma superioridade ilusória que cria dependência.

Que ações prevê para o futuro da EME SAÚDE?

A EME Saúde vai continuar o seu caminho de crescimento, nos vários serviços que tem, desde o crescimento esperado na área clínica, e agora cada vez mais com o alargamento e recrutamento de profissionais liberais empreendedores para consultas online na nossa rede STOICNET que vai ser lançada em 2024, assim como na área da formação, workshops e palestras, graças à DGERT, assim como de consultoria comportamental, a ajudar cada vez mais empresas com a CROWE.

Quantas pessoas, e de que áreas, trabalham diretamente na EME SAÚDE?

Na EME temos uma base de 18 colaboradores, entre psicólogos, médicos, nutricionistas, assistentes, entre outros que sendo adicionados de acordo com as necessidades que surgem junto dos nossos clientes particulares e empresariais. A nossa filosofia de base é ancorada no empreendorismo, com gestão do risco, para potenciar o crescimento. Não sendo qualquer perfil que encaixa nesta filosofia, temos vindo a encontrar a nossa tribo que faz desta família da EME uma empresa boa para se trabalhar.

De que forma vai celebrar junto da equipa esses 13 anos?

Neste mês de maio, que é o mês que começamos a faturar em 2011, vamos celebrar com a nossa equipa num passeio único de barco pelo Rio Douro, numa tarde de sábado, onde, entre cocktails, boas conversas e um verdadeiro espírito de equipa, continuaremos a conhecer-nos uns aos outros, a potenciar a amizade que protege o carácter e que nos aumenta a exigência mútua para servir os nossos clientes, numa procura constante de melhoria.

Como a psicologia pode auxiliar as pessoas tendo em conta o cenário emocional atual motivado pelo nosso cotidiano com instabilidades sociais, financeiras, angústias e guerras à porta de casa, sem esquecer o rescaldo da pandemia de Covid-19?

Por exemplo, nas empresas e organizações, muitos ainda não sabem, mas um psicólogo pode ajudar a construir equipas mais saudáveis, com uma cultura organizacional mais adequada à produtividade, promovendo as respetivas mudanças, depois de um diagnóstico e intervenção pela consultoria comportamental ou coaching psicológico (quer a líderes, gestores e trabalhadores). Na educação e nas escolas, um psicólogo pode ajudar a prevenir e intervir em problemas de desistência escolar, bullying, dificuldades de aprendizagem, hiperatividade com défice de atenção, orientação vocacional, entre outras necessidades que se verificam nos estudantes, pais e professores. Quanto às alterações climáticas, um psicólogo preocupa-se em contribuir para alteração de comportamentos individuais com impacto ambiental, sempre mantendo a necessária adaptação e flexibilidade, para reduzir a ecoansiedade e a toxicidade dos radicalismos rígidos que, muitas vezes, assolam as Pessoas por influências exageradas ou enviesadas. No âmbito da prevenção e redução da pobreza, o psicólogo procura intervir, quer nos indivíduos, quer nas organizações, potenciando o seu sentido de responsabilidade individual e coletiva, para melhorar o acesso à educação e saúde, promovendo a igualdade de oportunidades (e nunca de resultados). De uma forma geral, como se vê, o Psicólogo é um profissional que está disponível para ajudar as Pessoas, dentro da sociedade, para que mantenhamos uma estrutura pró-social, funcional e flexível, por forma a que a saúde mental se mantenha saudável e nos permita comunicar todos uns com os outros, apesar das nossas diferenças.

Por fim, quem é Ivandro Soares Monteiro?

Sou natural do Porto, Portugal, fundador e diretor-geral EME, Clínica Médica e Saúde Mental, Consultoria Comportamental e Eventos. Sou Psicólogo Clínico e das Organizações, doutorado pela Universidade do Minho, com especialidade avançada em Psicoterapia e Certificate of Achievement (pela University of Memphis, EUA). Psicoterapeuta certificado (Nível E – Interpersonal Psychotherapy Institute, USA), membro reconhecido pela International Society for Interpersonal Psychotherapy (ISIPT, USA) e Psychological Coach certificado (Membro da International Society for Coaching Psychology, UK). Exerço a profissão diariamente desde 2000, entre particulares e corporate, entre palestras corporativas e mais de 25 mil consultas/sessões individuais com os seus clientes, presenciais e online, em Portugal e internacionalmente. Sou ainda Associate Partner e Head da Behavioural Consultancy Unit da CROWE Portugal, e fundador da Academia de Psicoterapia Interpessoal, formando psicólogos e médicos psiquiatras desde 2009. Como Professor Universitário dou aulas no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar desde 2010 (e antes na Universidade da Maia de 2001 a 2013), assim como consultor clínico (desde 2011) em empresas líderes mundiais de ensaios clínicos da indústria farmacêutica. Especialista em desenvolvimento pessoal e autor de vários artigos científicos e de opinião, assim como 3 livros já publicados, sendo o mais recente “Mudamos pelo que fazemos”. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui