Ministra Cármen Lúcia e jornalista Míriam Leitão foram os destaques do segundo dia do Fliparacatu

Tema “Literatura, a libertação” suscitou debates

0
131
Míriam Leitão, Cármen Lúcia e Conceição Evaristo na mesa (Foto: Ranch Films)
- Publicidade -

Esta quinta-feira, 24/8, segundo dia do Festival Literário Internacional de Paracatu (Fliparacatu), contou com ampla programação de mesas de bate-papo com escritores, atrações infantojuvenis, apresentação de dança, lançamentos de livros, shows e mais.

Literatura e liberdade, com Cármen Lúcia e Míriam Leitão

Um dos destaques do dia foi a mesa com a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), e com a escritora Miriam Leitão, que falaram sobre o tema “Literatura, a libertação” para um auditório lotado. Mais de 300 pessoas assistiram ao bate-papo, mediado pelo jornalista Afonso Borges, idealizador e presidente do Festival.

“A palavra é sempre um instrumento que pode ser usado contra o outro; mas pode ser também trabalhado para que cada um de nós se liberte. […] Por isso a importância da literatura: para que a gente aprenda a pensar, a falar, a se comunicar e, inclusive, a formular a própria sociedade e as próprias ideias”, afirmou a ministra.

Míriam Leitão contou sobre a importância da literatura em sua história. “Aprender a ler é o primeiro passo para a liberdade”, afirmou a escritora, natural de Caratinga. “Nasci em uma cidade que não tinha livraria e, eu estava indo pra adolescência quando o Brasil foi tomado por um governo militar que detestava livros, como todas as tiranias. Mesmo em meio a estas distopias, eu me tornei leitora, e foi a literatura que me libertou”, disse.

Outras mesas de bate-papo

Além da conversa entre Míriam Leitão e Cármen Lúcia, o Fliparacatu contou com várias mesas de bate-papo nesta quinta. Na primeira mesa do dia, os jornalistas José-Manuel Diogo e Jamil Chade conversaram sobre “Cidadania da língua x lusofonia”, enquanto apresentavam o projeto da Casa da Cidadania da Língua, que busca criar novo espaço de diálogo para os países de língua portuguesa.

Formaram ainda a programação nacional do dia mesas como “Realidades periféricas: até onde vai o romance”, com Tom Farias e Socorro Acioli; “Memória e escrita: entre o singular e o coletivo”, com Taiasmin Ohnmacht e Calila das Mercês; “Quando a literatura decide recontar a história do Brasil”, com Ricardo Prado e Sérgio Abranches; e “Poesia: modos de usar”, com Luíza Romão e Marco Haurélio.

Já na programação regional, aconteceram as mesas “Resgatando memórias: a literatura como instrumento de preservação da história local”, de Helen Ulhoa Pimentel e Marcos Pinheiro; “Ancestrais negros em uma sociedade racista: os impactos e as reverberações na escrita de obras literárias locais”, de Silvano Avelar e Benedita Simonetti; e “A arte de contar histórias: valorizando o patrimônio histórico pela oralidade e pela literatura”, de Benedita dos Reis Soares Costa.

Música, oficina de dança e programação infantojuvenil

Além dos debates e palestras, esse segundo dia de Festival também contou com a estreia do grupo de Dança Primeiro Ato na programação. Ele apresentou a roda de conversa “Uma história para contar” e a oficina “Primeiro Ato 40 anos: uma linguagem na dança contemporânea brasileira”. À noite, aconteceram os shows das bandas Xangrilá e Jaeder Moreira & Thuyan Santiago.

A programação infantojuvenil contou com as apresentações “Palavra também é brinquedo”, de Tino Freitas, e “Palavra também tece asas”, de Alessandra Roscoe; com o espetáculo “Paracatu do Príncipe”, do Grupo Cenikas; leitura de textos com o cordelista Marco Haurélio e, ainda, a peça teatral “Dedim de Prosa e Exposição: Costumes, Tradução e Diversidade Cultural”.

O Fliparacatu segue até domingo, 27/8: confira a programação completa dos próximos dias clicando aqui!

O Festival Literário Internacional de Paracatu é patrocinado pela Kinross, via Lei Rouanet do Ministério da Cultura, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Paracatu, da Paróquia de Santo Antônio e do Projeto Portinari. Com a curadoria de Tom Farias, Sérgio Abranches e Afonso Borges, acontece entre os dias 23 e 27 de agosto de 2023, no Centro Histórico da cidade. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui