“Mais Lusofonia” avalia projetos que podem beneficiar comunidades lusófonas no Brasil, Portugal e Cabo Verde

Associação “Mais Lusofonia” atua no ramo cultural e social com projetos entre Brasil, Portugal e Cabo Verde

0
1030
Eurico Correia Monteiro, embaixador de Cabo Verde em Portugal, e Sofia Lourenço, presidente da Associação "Mais Lusofonia"
- Publicidade -

Sofia Lourenço, presidente da Associação “Mais Lusofonia”, com sede em Castelo Branco, Portugal, manteve agenda em Lisboa no dia 11 de maio com o intuito de estabelecer conexões com o governo de Cabo Verde e com programas do governo português voltados para os emigrantes.

O primeiro ponto da agenda aconteceu pela manhã na Embaixada de Cabo Verde em Portugal, quando Sofia Lourenço ouviu do embaixador Eurico Correia Monteiro que a entidade que lidera poderá contar com o apoio institucional desta unidade diplomática no âmbito das ações que tenham como foco a comunidade cabo-verdiana em solo luso.

Em junho, Sofia Lourenço realiza uma visita técnica à cidade da Praia e à ilha Brava, em Cabo Verde, para organizar o programa que será realizado por cerca de 20 pessoas que vão viajar de Portugal para este país africano com o objetivo de, voluntariamente, promover ações sociais junto das Aldeias S.O.S e Fazenda Esperança, projetos sociais de peso no país. Haverá também espaço para um espetáculo musical, da “Companhia de Dança Sofia Lourenço”, que visa promover intercâmbio cultural entre Portugal, Brasil e Cabo Verde. Durante esta visita técnica, Sofia vai ter encontros com as autoridades governamentais locais. Para setembro, está a ser organizada uma visita oficial do embaixador cabo-verdiano ao Interior de Portugal para contactar com a nova vaga de migração do seu país na região.

José Albano, diretor executivo do Ponto de Contacto para o Regresso do Emigrante, e Sofia Lourenço

Ainda no dia 11, na parte da tarde, a presidente da “Mais Lusofonia” reuniu com José Albano, diretor executivo do Ponto de Contacto para o Regresso do Emigrante – “Programa Regressar”, para dinamizar o protocolo de ação e promoção do referido programa na região Centro de Portugal. Nos últimos dias, Sofia esteve na cidade de Maringá, no Brasil, onde participou em ações com a comunidade portuguesa local, incluindo reuniões no Centro Português de Maringá, entidade fundada em 1964, sendo considerado “um dos clubes mais tradicionais de Maringá” e que “ocupa uma posição destacada no ranking nacional de clubes luso-brasileiros”. Sofia, que é luso-brasileira, apresentou o “Programa Regressar” aos corpos sociais do clube e conversou com Luiz Andrade de Souza, gerente geral desta entidade, sobre projetos existentes que podem beneficiar a comunidade portuguesa no Brasil e brasileira em Portugal.

Sofia Lourenço e Luiz Andrade de Souza, Gerente Geral do Clube Português de Maringá

Recentemente, o governo português decidiu “estender extraordinariamente” a vigência do Programa Regressar até 2026 com o objetivo de “atrair jovens e quadros qualificados, no âmbito do Acordo de Médio Prazo de melhoria dos rendimentos, dos salários e da competitividade”. Este programa visa auxiliar os nacionais portugueses que estão emigrados a voltar a viver em Portugal.

Estúdios da RDP África, Lisboa

Ainda na capital portuguesa, Sofia Lourenço visitou os estúdios da RTP e foi recebida por membros das equipas da RDP África e RDP Internacional. A ideia é levar mais longe as informações que conectam o mundo lusófona.

A Associação “Mais Lusofonia” atua no ramo cultural e social com projetos entre Brasil, Portugal e Cabo Verde. No dia 28 de maio, irá realizar, em conjunto com a Associação da Carapalha, uma caminhada solidária em Castelo Branco. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui