Maior corredor de arte urbana da América Latina ficará no Rio de Janeiro

Viadutos, terminais e passarelas que integram os 26 quilómetros do BRT Transbrasil vão receber grafites do projeto “Cores da Brasil”

0
375
Foto: Beth Santos/ Prefeitura do Rio
- Publicidade -

A cidade do Rio de Janeiro, Brasil, conta agora com a maior galeria de arte urbana a céu aberto da América Latina. Agora, os grafites que já estampam locais como o Porto Maravilha chegarão ao corredor do BRT Transbrasil, uma via expressa para autocarros que atendem à população da cidade maravilhosa. Ao longo de 26 quilómetros de extensão, viadutos, terminais e passarelas receberão novas cores, formas e significados por inspiração nas obras do Profeta Gentileza.

O projeto Cores da Brasil foi apresentado no último dia 21 de setembro pelo Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que visitou as obras do Terminal Intermodal Gentileza (TIG).

“A arte urbana e o grafite têm a inspiração do Profeta Gentileza, que dá nome a esse novo terminal. É uma forma de valorizarmos os artistas que estão espalhados pela cidade e, ao mesmo tempo, trazer cores, esperança e luz para a principal avenida da cidade. E aumentar o sentimento de pertencimento das pessoas. A arte urbana traz isso, o cuidar do espaço público. Tenho certeza de que a Avenida Brasil, com toda essa arte urbana, passa de um lugar deteriorado e degradado a um lugar de esperança para termos um outro olhar. Esse é o principal objetivo desse projeto. Vai ser um ponto de transformação na história da cidade”, afirmou Eduardo Paes.

Para o projeto foram mapeados artistas moradores dos locais por onde a Transbrasil vai passar. Ao todo, 26 bairros serão contemplados com as obras de mais de 60 artistas. As intervenções serão realizadas em três terminais, 30 viadutos, 300 pilares e 18 estações com passarelas. Ao todo, mais de 30 mil latas de tintas e dez mil latas de spray serão utilizadas. O pontapé inicial foi no Terminal Intermodal Gentileza, em muro de 450 metros do artista Lucas Cassarotti.

Em parceria com a Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio), a ação também abraça o lado social, com a capacitação de jovens de cada região que terão o primeiro contacto com a produção artística neste projeto. Os contentores operacionais utilizados na produção ficarão de legado como escolas de capacitação em arte.

“Aproveitamos a linguagem já existente no Porto Maravilha para fazer todo o corredor do BRT Transbrasil, entre o Terminal Deodoro e o Gentileza, com arte urbana. Vamos trazer cor, vibração e alegria para todo o eixo da Avenida Brasil. Importante termos os painéis bem mantidos para termos um legado, mostrando que isso mudou a qualidade de vida e a percepção do cidadão para chegar ao Centro da cidade. Além disso, os contentores que servirão de apoio na manutenção ao longo dos anos vão se transformar em escolas para formarmos novos artistas nesse eixo das artes urbanas”, disse o presidente da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar), Gustavo Guerrante.

A iniciativa vai além da estética do futuro corredor de BRT e da Avenida Brasil em si. O grafite garante a preservação das estações e terminais, inibindo pichações e aumentando o engajamento da população com o transporte público da cidade. 

“A ideia é rececionar os cariocas e o povo que chega pela Avenida Brasil no Rio de Janeiro com as Cores do Brasil, com as cores que representam o nosso povo. E ter essa questão da gentileza urbana. A arte urbana é para todos porque ela está na rua. Queremos democratizar a arte e trazer mais cores para a vida das pessoas”, declarou Andre Bretas, produtor cultural responsável pelos grafites.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui