Luís Faro Ramos assegura que “serviço e proteção consular” são prioridades do seu mandato no Brasil

“… damos o nosso melhor”, garante o embaixador de Portugal no Brasil sobre o trabalho da diplomacia portuguesa no país irmão

0
1392
Luís Faro Ramos, embaixador de Portugal no Brasil
- Publicidade -

A embaixada portuguesa no Brasil está a comemorar a reaproximação entre as duas nações. Em 2022, o Governo brasileiro convidou Portugal para festejar os 200 anos da Independência do Brasil, tendo, inclusive, a presença do coração de Dom Pedro I. O Embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos, afirmou que o convite foi o ponto alto da relação entre os países.

“Há uma circunstância rara, ou mesmo única. O facto de um país que foi colonizado, que é o Brasil, convidar o país que colonizou, Portugal, para comemorar os 200 anos de independência. Quando fomos convidados pelas autoridades brasileiras, aceitamos com muito gosto. Foi criada, em Portugal, uma comissão que seguiu as comemorações, que, em seguida, houve muitas iniciativas em Portugal, no Brasil e em outros lugares do mundo, através das redes diplomáticas brasileiras e portuguesas. Inclusive, foi um imenso prazer. Foi um ponto alto da relação entre os países. Mas não se esgota”, disse o embaixador.

Sobre a visita do presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, a Portugal, agendada para os próximos dias, Luís Faro Ramos ressalta que, apesar dos esforços feitos nos 200 anos da Independência, uma visita de Estado tem um peso significativo, e destaca que haverá também uma Cimeira, em solo português, mais um movimento de aproximação dos dois países.

Conexão entre Brasil e Portugal

“Essas comemorações já terminaram e agora estamos com umas pedaladas muito boas, porque vamos realizar em Portugal uma Cimeira. Ao mesmo tempo, o presidente Lula vai realizar uma visita de estado ao nosso país. Então, temos duas dimensões concentradas num par de dias. Temos uma visita de estado, que é responsabilidade do nosso presidente da República, e a Cimeira, que é responsabilidade do nosso primeiro ministro. Então, vamos ter, certamente, mais um momento muito importante nas nossas relações. Eu lembro que não havia isso há sete anos, desde 2016. Há muito tempo para recuperar, muita conversa. Mudar a realidade para melhor. Sinto que este ano de 2023 será um ano melhor para o estreitamento das nossas relações. Claro que esta Cimeira normalmente é uma ocasião importante para a levantar pontos de aproximação e para que os mais altos representantes dos dois países conversem, de uma maneira mais aberta, como é a amizade entre Portugal e Brasil”, completou Faro Ramos, que também sublinhou o sucesso da Feira Internacional de Negócios (FIN Brasil 2023), que ocorreu no final de março, em Florianópolis, no Sul do Brasil.

Este evento reuniu empresários e investidores interessados nesse intercâmbio. A FIN Brasil é uma iniciativa da Câmara de Comércio Brasil-Portugal de Santa Catarina. Além do embaixador de Portugal, o certame contou com a presença do Secretário de Estado da Internacionalização português, Bernardo Ivo Cruz.

O embaixador de Portugal também destacou a atuação do Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP) no ensino da Língua Portuguesa ao redor do Mundo e recordou que o Brasil não vive as problemáticas dessa questão, pois trata-se de um território enorme, com muitos falantes da língua de Camões.

“No Brasil não se coloca essa questão da língua portuguesa, mas sim trabalharmos em sintonia, em conjunto. O português é a língua mais falada do mundo, mais de 260 milhões de falantes, há um grande potencial. E, em relação ao CCP, é um órgão da maior importância para as nossas comunidades. Como sabemos, no Brasil, existe e está presente a maior rede consular do mundo. Nós temos dez postos consulares, se contarmos com Brasília. É preciso ter uma rede que tenha muita responsabilidade, trabalho, cada vez mais trabalho. É o que falei, os pedidos de nacionalidade portuguesa, vistos… Toda essa gente quer estudar, investir em Portugal. O que dá, obviamente, uma responsabilidade e a procura cresce. Nós fazemos o que podemos. Estou em contato permanente com os postos consulares. Nós temos recursos humanos limitados, mas estamos tentando corresponder com o chegar das encomendas, só que as encomendas estão cada vez maiores. Eu entendo que há uma certa frustração por não serem atendidos com a solidariedade que gostariam, mas acreditem: nós damos o nosso melhor, todos os funcionários dos postos consulares estão dando o melhor. Mas, claro, nem sempre dá para corresponder imediatamente às solicitações. Mas repito, estamos dando o nosso melhor, com vontade de servir o nosso país. E é parte desse serviço às comunidades. O serviço e a proteção consular são, para mim, prioridades do meu mandato no Brasil”, concluiu Luís Faro Ramos. ∎

 

 

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui