“Literatura e Ancestralidade” foram os temas abordados por Mia Couto e Itamar Vieira Junior no final do terceiro dia do Fliparacatu

Fliparacatu segue até este domingo

0
107
Sérgio Abranches, Mia Couto e Itamar Vieira Junior conversam na mesa "Palavras para desentortar arados" (Foto: Ranch films)
- Publicidade -

Narração de conto por Conceição Evaristo, conversas entre Mia Couto e Itamar Vieira Junior, homenagem à Míriam Leitão, espetáculo do Grupo de Dança Primeiro Ato. Estas foram apenas algumas das atrações do Festival Literário Internacional de Paracatu (Fliparacatu) na última sexta-feira, 25/08, seu terceiro dia. O Fliparacatu segue até este domingo.

Palavras para desentortar arados, com Mia Couto e Itamar Vieira Junior

Um dos momentos mais marcantes desta sexta-feira foi a mesa “Palavras para desentortar arados”, entre os escritores Mia Couto e Itamar Vieira Junior. O tema faz referência ao título do romance de estreia de Itamar, o premiado livro “Torto Arado”, lançado em 2019.  Os dois falaram sobre temas como ancestralidade, literatura brasileira, sobre o que os motiva a escrever, processos criativos e a importância da leitura para eles.

Mia contou que a literatura entrou cedo em sua vida. “Eu tive uma mãe extraordinária, que convertia toda a vida em histórias (…) Ela convertia em uma história que ela própria se surpreendia quando contava, para que o mundo não fosse tão pesado, tão feio”, disse.

Itamar disse que seu interesse pela escrita veio naturalmente, depois que ele começou a gostar de ler. “Acho que a primeira coisa que me fez querer contar histórias foi conhecer a própria literatura. Quando eu comecei a ler a literatura infantil, infantojuvenil, aquilo (…) foi um convite para que eu escrevesse também.”, contou.

Apresentação do Primeiro Ato, Conceição Evaristo e slam

Outro momento marcante do dia foi a apresentação de dança contemporânea “Terreiro”, do grupo Primeiro Ato. Os bailarinos ocuparam o anfiteatro da Fundação Municipal Casa de Cultura para um espetáculo que homenageou os artistas da cultura popular, que dão forma a festejos e crenças com sua arte. A trilha sonora foi composta por músicos eruditos e populares de Minas Gerais.

Logo após o espetáculo, a escritora Conceição Evaristo, Autora Homenageada do festival, subiu ao palco montado no anfiteatro para apresentar o conto “Olhos d’água”, do seu livro homônimo publicado em 2014. Em seguida, foi a vez dos slammers da Batalha da Galeria levarem a cultura do Hip Hop e a arte de rua para o festival. Eles ocuparam o anfiteatro para uma bela batalha de rimas sobre arte, literatura e ancestralidade.

Atrações infantojuvenis e música

A programação infantojuvenil de sexta contou com homenagem à escritora e jornalista Míriam Leitão, que é autora de sete livros infantis, além de apresentações dos escritores Tino Freitas, Trudruá Dorrico e Rafael Nolli. O dia terminou com as apresentações musicais de Enos Araújo e Marcos Frederico Trio.

O Festival Literário Internacional de Paracatu é patrocinado pela Kinross, via Lei Rouanet, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Paracatu, da Paróquia de Santo Antônio e do Projeto Portinari. Com a curadoria de Tom Farias, Sérgio Abranches e Afonso Borges, acontece entre os dias 23 e 27 de agosto de 2023, no Centro Histórico da cidade. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui