Jornalista Carlos Pereira aborda em documentário protagonismo português em França durante a Primeira Guerra Mundial

Intuito do autor é “lutar contra o esquecimento da participação portuguesa na guerra”

0
779
Exibição será dia 9 de maio, em Lisboa
- Publicidade -

O documentário “Os Herdeiros da Batalha de La Lys”, de autoria do jornalista português Carlos Pereira, vai ser projetado em Lisboa, nas instalações da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, no Salão Nobre do Palácio da Independência, no Largo de São Domingos, no dia 9 de maio, às 17h, com entrada gratuita. Este trabalho ressalta a memória dos portugueses que lutaram em França durante a Primeira Guerra Mundial. A ideia do autor é “lutar contra o esquecimento da participação portuguesa na guerra”.

Esta sessão terá a presença do presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, José Ribeiro e Castro, do presidente da Comissão Portuguesa de História Militar, Major-General João Vieira Borges, e do Embaixador Francisco Seixas da Costa, além de Carlos Pereira.

Exibido pela primeira vez no dia 5 de novembro de 2018 na Universidade Popular de História de Pessac (Unipop Histoire), perto de Bordeaux, o documentário destaca a luta dos portugueses, que tiveram de enfrentar as dificuldades das trincheiras, mas também a falta de reconhecimento financeiro e histórico. Dessa forma, Carlos Pereira, após 12 anos de reportagens em França, desenvolveu o filme que conta a luta dos soldados no local e em Murça, onde o “Soldado dos Milhões” é visto como herói.

“O objetivo é mostrar à França que os portugueses participaram na Primeira Guerra Mundial. Esta relação entre França e Portugal não é conhecida; é algo que foi esquecido e não compreendo bem porquê”, comenta Carlos Pereira, que ressaltou que “os próprios portugueses de França necessitam de ter esta informação para partilharem com os amigos franceses”.

Para o autor, também é importante dar luz ao facto de que existem comemorações na França, em homenagem aos soldados que por lá lutaram. E, assim, contou com o protagonismo de Felícia de Assunção, Leonilde Milhões, Raymonde da Silva e Claude Correia, atores principais da obra.

Além da história dos heróis de guerra, o filme também conta com depoimentos dos ex-ministros da Defesa Nuno Severiano Teixeira, Azeredo Lopes e João Gomes Cravinho, com o jornalista e escritor José Rodrigues dos Santos, com o historiador Georges Viaud, com o presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues, dentre outras entrevistas.

A obra é uma realização de Carlos Pereira, licenciado em Física pela Universidade de Ciências de Paris 7/Jussieu. Também atuou como diretor da Coordenação das Colectividades Portuguesas de França (CCPF), fundou o Festival de Teatro Português em Paris, foi diretor de Marketing e Vendas da Marconi France (Grupo Portugal Telecom). Foi membro eleito do Conselho das Comunidades Portuguesas. Exerce a função de jornalista desde 2004, é diretor do LusoJornal, o único jornal franco-português de informação editado em França, e também é produtor de conteúdos para televisão, trabalhando, atualmente, para o programa “Hora dos Portugueses” da RTP. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui