João Morgado lançou obra premiada na Fundação Casa de Macau em Lisboa

Livro está à venda em www.joaomorgado.net e na plataforma da Amazon

0
444
Escritor português é também presidente da Casa do Brasil – Terras de Cabral
- Publicidade -

O escritor português João Morgado apresentou, no último dia 31 de março, a segunda edição do livro “Contos de Macau” na Fundação Casa de Macau em Lisboa, com a presença do seu diretor, Mário Matos dos Santos, e do presidente do Instituto Internacional de Macau, Jorge Rangel.

A obra, que ganhou o Prémio Literário Manuel da Fonseca 2020, foi apresentada pela professora Ana Cristina Alves, coordenadora do Serviço Educativo do Instituto Cultural de Macau, estudiosa da filosofia chinesa e das filosofias religiosas asiáticas.

“Parece que João Morgado viveu anos em Macau pela forma como captou o pulsar daquela ilha e transportou para os seus contos, quer o lado solar – todo o encanto do território, quer o seu lunar – o submundo do jogo, das tríades, do contrabando, do ópio. Mas, sem esquecer toda a magia que nos vem do Oriente, e todo o encanto místico que se vive em Macau, reflexo da cultura chinesa. É um mundo de personagens orientais, ocidentais, mestiços… homens e mulheres, respondendo ao dualismo de Yin e Yang e ao equilíbrio do universo”, comentou Ana Cristina Alves.

Para Mário Matos dos Santos, o livro é uma visão do “fenómeno Macau – uma visão muito conseguida que se notabiliza expondo temas e vivências muito expressivas, usando para tal um pertinente manejo de palavras, raro de se encontrar”. Para este responsável, o livro apresenta-se como um “retrato harmonioso de uma vivência ímpar, eivado de uma realidade única e inspiradora – Macau!”.

Na opinião de João Morgado, que é também presidente da Casa do Brasil – Terras de Cabral, com sede em Portugal, “a obra não retrata o Macau dos tempos atuais, sendo antes um “livro impressionista, com pinceladas que misturam o histórico e o fantástico e que procuram passar para o leitor um conjunto de sensações dispersas, de emoções, de temas que marcaram o território durante a administração portuguesa, no contraste vivo de civilizações”.

A segunda edição contou ainda com fotografias do fotojornalista de Macau, Gonçalo Lobo Pinheiro, que, nesta sessão, teve algum do seu trabalho projetado numa tela.

A obra está à venda em www.joaomorgado.net e na plataforma da Amazon.

A Fundação Casa de Macau é uma organização sem fins lucrativos que promove e apoia o estudo, conhecimento e divulgação de Macau, do seu passado, presente e futuro, através da cooperação e do desenvolvimento de atividades de caráter cultural, social, educativo, artístico e de benemerência. Apoiou também a divulgação desta obra, ao convidar João Morgado para apresentar o seu livro, e deixando pistas para “novos contos”. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui