Gulden Draak – Casa da Cerveja: Lisboa já tem um Bar-Restaurante da Mítica Cerveja

50 torneiras de cerveja – maior oferta em Portugal; 450 metros quadrados

0
723
Uma carta da dupla de chefs António Alexandre e Bruno Miguel Duarte da Costa
- Publicidade -

Acaba de abrir, na Rua Andrade Corvo, frente ao metro Picoas, em Lisboa, o primeiro espaço na capital dedicado à mítica cerveja belga. O novo bar-restaurante GULDEN DRAAK – CASA DA CERVEJA aposta na sofisticação da bebida que é uma paixão mundial.

É um bar de cervejas, mas não só. São 450 metros quadrados – sim, 450 metros quadrados – dedicados às 50 cervejas à pressão, acompanhadas por uma vasta carta de bebidas, coquetéis e vinhos, para responder a diferentes gostos e momentos.

Além disso, a casa também aposta na restauração (carta online: https://guldendraak.crd.co/), capitaneada pelos chefs António Alexandre e Bruno Miguel Duarte da Costa, a dupla promete trazer leituras e releituras de pratos e petiscos portugueses e internacionais para harmonizações com cervejas e pratos que levam cerveja em sua composição. Durante a semana haverá também almoço executivo e happy hours.

O Gulden Draak é um belo espaço de bem-estar, confortável e com uma estética muito cuidada, com uma carta muito cuidada de comidas, bebidas, música ambiente ou com DJ convidados e onde também se pode jogar snooker e setas.

A decoração foi concebida pela própria sócia Verônica Fernandes, que resolveu aceitar o desafio de elevar o hobby de designer de interiores a um novo patamar.  “Foi uma obra longa, que transformou o espaço de 450m2, com imenso potencial, mas que era frio e sem piada em um espaço aconchegante e cheio de personalidade. O ponto de partida foi o copo da marca, inspirado no ovo do dragão, que se transformou num teto com 350 luminárias , enquanto três claraboias também inundam o espaço de luz natural”, revela a proprietária, que explica:  “do ovo saem os dragões que estão aqui e ali no espaço, nas torneiras, em quadros , na iluminação … dos dragões, nascem as cervejas.”

As cores da marca branco, preto e vermelho desdobram-se em paredes com azulejos, em texturas, e estampas, que formam um grande mosaico, e com mobiliário que mistura cadeiras de bistrô, sofás de veludo e fotos antigas. Por um aquário de vidro, os clientes poderão ver os barris e perceber de onde vem as cervejas que bebem.

A iluminação é parte fundamental do projeto e para isso foi convidado Renato Machado, premiado iluminador carioca, atualmente a residir em Lisboa e professor da Universidade de Évora, que trouxe dos palcos a dramaticidade que os sócios queriam para o espaço.

A ideia foi criar um espaço que traduzisse o espírito da marca:  refinado, eclético e marcante como as suas cervejas, com o toque mágico de um dragão dourado. Um espaço aconchegante e diferente, pra gente interessante.

SOBRE OS PROPRIETÁRIOS

Veronica Fernandes e Neko Pedrosa , um casal de produtores culturais que em 2016 trocaram o Rio de Janeiro por Lisboa,  para trazer para a capital portuguesa a filial do icônico bar de cervejas belgas Delirium Café, inaugurado em 2017 no Chiado, que rapidamente  se tornou uma referência na cena cervejeira portuguesa, com 35 cervejas à pressão, boa comida e um ambiente descontraído.

Passados seis anos, resolveram presentear a cena lisboeta com mais um conceito ligado à cerveja, dessa vez da conceituada marca belga Gulden Draak, que quer dizer dragão dourado em neerlandês. Era para ter sido muito antes, pois o convite da marca para que a representassem surgiu no início de 2020, mas logo depois veio a pandemia e os planos tiveram que ser adiados.

Dessa forma, três anos depois, nasce a Gulden Draak – Casa da Cerveja, mesmo em frente ao metro de Picoas. Na nova casa serão 50 cervejas à pressão, com várias cervejas da marca e mais uma curadoria de outras cervejas belgas, alemãs, escocesas, espanholas e portuguesas, feita pelo sócio Neko Pedrosa.

A MARCA

Fundada em 1784, a Brouwerij Van Steenberge de Ertvelde, sob a liderança do atual mestre cervejeiro Jef Versele (6ª geração), tornou-se um player internacional cuja história e futuro andam de mãos dadas. O foco no processo de fabricação tradicional com os meios tecnológicos de hoje fornece uma rica gama de cervejas especiais com grande apreciação do país e do exterior.

Culturas únicas de leveduras, maturação natural e fermentação secundária resultam em cervejas vivas com evolução do sabor, como Augustijn, Piraat, Gulden Draak & Fourchette.

De forma independente e local, Brouwerij Van Steenberge produz 180.000 HL de cerveja a cada ano, que ansiosamente encontra o seu caminho para os amantes da cerveja de todo o mundo. Paixão e qualidade, respeito aos colaboradores e cuidado com o meio ambiente não são conceitos vazios aqui, mas motivos que garantem um futuro estável.

A LENDA DO DRAGÃO DE GHENT

A lenda do dragão (draak em flamengo) tem séculos de idade. A odisseia desta besta mítica começa no norte da Escandinávia na proa de um navio viking e, depois de uma longa e sinuosa jornada, termina no topo do Campanário de Gante.

O dragão é um símbolo de força que inspira as robustas cervejas da marca, que são uma recompensa aos heróis de todos os dias.

A marca tem uma vasta linha de cervejas, algumas que chegam a 12º de álcool e que trazem notas e sabores muito variados, num leque de escolhas que vai da cerveja estrela – a Gulden Draak classic – até à Fourchette, uma cerveja especialíssima que surge da mistura de uma tripel com uma wit e que tem no seu fã clube vários chefs de restaurantes estrelados. ■

 

 

 

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui