Fundo de Cooperação Triangular conecta Portugal, América Latina e África

Montante disponibilizado por Portugal é de um milhão de euros provenientes do Instituto Camões

0
264
Projeto entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e os países ibero-americanos
- Publicidade -

Cerca de um milhão de euros. É montante do fundo destinado por Portugal, através do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P…, para ações no âmbito do Memorando de Entendimento assinado entre Portugal, América Latina e África. Esta Cooperação Triangular visa apoiar projetos e iniciativas de cooperação focados no desenvolvimento de capacidades estratégicas e no intercâmbio de experiências entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e os países ibero-americanos, em áreas como educação, saúde, igualdade de género, alterações climáticas, segurança alimentar, cultura, coesão social, transformação digital e educação para o desenvolvimento.

Os projetos e iniciativas serão apresentados por entidades públicas e/ou privadas portuguesas ou latino-americanas e serão escolhidos através de concurso. O primeiro procedimento concursal ao abrigo deste Fundo será lançado até ao final de 2023, e o período de execução dos projetos e iniciativas decorrerá até 31 de dezembro de 2025.

Durante a assinatura do documento entre Portugal e a Secretária-geral Ibero-Americana (SEGIB), no dia 7 de junho, o Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal, Francisco André, em Madrid, Espanha, salientou que “a constituição deste Fundo é um importante reforço da participação de Portugal na cooperação ibero-americana e contribui, igualmente, para aproximar duas regiões – a América Latina e África – que são estratégicas e prioritárias para o futuro do desenvolvimento humano”.

Para o Secretário-Geral Ibero-americano, Andrés Allamand, a importância deste contributo de Portugal reside no facto de “nos permitir reforçar a cooperação triangular em áreas que são fundamentais para a nossa região e avançar no cumprimento dos ODS, dando aos países da Ibero-América e África a oportunidade de partilharem as suas experiências e desenvolverem as suas capacidades nestas áreas”.

O Fundo é constituído em conjunto com a SEGIB, que será responsável pela sua gestão por um período indicativo de três anos.

A criação do Fundo tinha sido anunciada pelo Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, durante a Cimeira Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo realizada em março deste ano, em Santo Domingo, República Dominicana. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui