Festival literário no Brasil retoma fôlego na promoção social e cultural lusófona

Fliaraxá acontece entre os dias 5 e 9 de julho, em Araxá, Minas Gerais, no Brasil

0
670
11ª edição do evento será montada no Estádio Municipal Fausto Alvim
- Publicidade -

“Educação, Literatura e Património” é o tema que norteia o 11.º Festival Literário de Araxá – Fliaraxá –, que acontecerá entre os dias 5 e 9 de julho, de quarta-feira a domingo, em Araxá, Minas Gerais, no Brasil. Esta edição, que será montada no Estádio Municipal Fausto Alvim, localizado no centro da cidade, apresenta novidades. A estrutura inclui livraria, auditório, espaço para crianças, além da área de gastronomia com palco para as atrações musicais.

Uma das novidades é que a Câmara Municipal de Araxá vai participar ativamente no Festival, coordenando o tradicional Prémio de Redação Maria Amália Dumont, cujo tema será o mesmo do Fliaraxá.

A Academia Araxaense de Letras também ganha protagonismo ao fazer a curadoria, por intermédio do presidente Luiz Humberto França, de uma série de 20 debates com autores de Araxá e da região.

Assim como na edição passada, a curadoria da programação adulta nacional será realizada, em comum, por Tom Farias, Sérgio Abranches e Afonso Borges, este último, responsável pelo Fliaraxá. Tom Farias é escritor, jornalista e crítico literário, autor de 17 livros, entre eles, a biografia de Carolina Maria de Jesus; Sérgio Abranches é politólogo, escritor e autor de, entre outros, o romance “O intérprete de borboletas”.

Já o programa infantil fica a cargo do professor e escritor Rafael Nolli. A autora homenageada será a poeta araxaense Líria Porto, ao lado da escritora e jornalista Eliana Alves Cruz.

Evento híbrido

O Fliaraxá acontece em formato figital, ou seja, com programa presencial e digital, no YouTube, Instagram e Facebook em: @fliaraxa. Presencialmente, o Festival receberá nesta edição um grupo representativo de autores, entre eles Eliana Alves Cruz, Itamar Vieira Jr, Jeferson Tenório, Jamil Chade, Sérgio Abranches, Juliana Monteiro, Tom Farias, Lucrecia Zappi e Eugênio Bucci.

O projeto “Muros Invisíveis” retorna e dá foco aos professores e professoras pretas da cidade, numa homenagem e olhar para a Educação.

O Fliaraxá é apresentado pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), com patrocínio do Itaú e da Cemig, via Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, com apoio da TV Integração, Prefeitura Municipal de Araxá, Fundação Calmon Barreto, Câmara Municipal de Araxá, Academia Araxaense de Letras, Condor Eventos, Vale Sul / Goethe-Institut, Instituto Terra e Sesc.

O programa completo pode ser consultado no site www.fliaraxa.com.br

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui