Ex-primeiro-ministro português lançou livro em São Paulo a criticar governo de Bolsonaro

José Sócrates apresentou obra na Casa de Portugal de São Paulo, no dia 8 de agosto

0
438
Cerca de 150 pessoas estiveram presentes, segundo a organização do evento
- Publicidade -

O ex-primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, lançou, no Brasil, o livro “Os anos Bolsonaro – Crónicas de Tempos Sombrios”, nas instalações da Casa de Portugal de São Paulo, no dia 8 de agosto. A obra, editada pela Editora Contracorrente, foi apresentada pelo jornalista brasileiro Reinaldo Azevedo.

O livro reúne crónicas que Sócrates publicou na revista brasileira Carta Capital. O evento reuniu, segundo os organizadores, cerca de 150 participantes, entre advogados, académicos, intelectuais e convidados de José Sócrates e da própria editora, numa noite com direito a debate sobre o tema central do livro.

Nomes ligados a Sócrates referem que o político português está matriculado num doutoramento em Relações Internacionais, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Durante o lançamento, Sócrates sublinhou que o livro reúne uma seleção de “20 crónicas escritas ao longo de quatro anos na Carta Capital, a primeira logo após as eleições de 2018 e a última, depois das de 2022”.

“E, no fundo, é um capricho porque é uma reflexão sobre um período histórico que queria partilhar com os meus amigos brasileiros”, frisou Sócrates.

Para a Casa de Portugal de São Paulo a decisão de apoiar este evento foi natural uma vez que esta entidade, que é uma das principais do movimento associativo português no Brasil, abre sempre espaço para eventos literários.

“Nós, da Casa de Portugal, consideramos que todos os lançamentos de livro são importantes. Faz parte da política da Casa de Portugal o incentivo à leitura, até porque somos e abrigamos a maior biblioteca lusófona da cidade de São Paulo com mais de 30 mil volumes, com literatura luso-brasileira. Promovemos eventos de música, artes plásticas, literatura, poesia, cultura em geral, portuguesa e brasileira. Por isso, a Casa de Portugal, fundada em 1935, é uma referência da cultura na cidade de São Paulo, não só arquitetónica. É um espaço democrático, que recebe todas as conceções, todas as visões. A Casa de Portugal é uma casa suprapartidária, não tem vinculação político partidária, nem em Portugal nem no Brasil. É uma casa que não tem vínculos, nem dependências do Estado brasileiro, nem do Estado português. De tal forma que vimos com muita tranquilidade e alegria mais uma noite da casa cheia para este lançamento de livro”, explicou Renato Afonso Gonçalves, presidente da Casa de Portugal de São Paulo.

Na mesa estavam Sócrates, Reinaldo Azevedo, o advogado Rafael Valim, da editora Contracorrente, e Renato Afonso Gonçalves, presidente da Casa de Portugal de São Paulo.

A nossa reportagem conversou também com responsáveis pela secção do Partido Socialista (PS) em São Paulo. Parte dos militantes afirma que não foi informada sobre o lançamento. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui