Durante viagem oficial à Espanha, presidente do Brasil defendeu acordo Mercosul-União Europeia

Lula defendeu também parcerias entre instituições públicas e privadas

0
159
Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil
- Publicidade -

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, discursou no dia 25 de abril no encerramento do Fórum Empresarial Brasil-Espanha, em Madrid, onde cumpre agenda oficial depois de ter passado por Portugal. Durante o seu pronunciamento, que durou pouco mais de 30 minutos, Lula defendeu parcerias entre instituições públicas e privadas, o protagonismo do Brasil no cenário mundial e a assinatura do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia.

“O Brasil e os sócios do Mercosul estão engajados no diálogo para concluir as negociações com a União Europeia e esperamos ter boas notícias ainda este ano. É um acordo muito importante para todos e queremos que seja equilibrado e que contribua para a industrialização do Brasil”, comentou Lula, que chamou de “feliz coincidência” o facto de que o Brasil passará a ocupar a presidência semestral do Mercosul em julho enquanto a Espanha fará o mesmo no bloco europeu. Segundo o chefe de Estado brasileiro, esse cenário “permitirá avanços substantivos para a conclusão do acordo”. Lula acredita que a presidência espanhola na União Europeia deverá ajudar na conclusão do acordo.

O presidente do Brasil lembrou que, na última vez em que esteve na Casa da América em Madrid, local onde houve o fórum desta semana, foi para falar sobre um programa de recuperação global após a pandemia da Covid-19.

Lula comentou que a Espanha é hoje “o segundo maior investidor estrangeiro no Brasil, atrás apenas dos Estados Unidos”. Atualmente, o stoque de investimentos espanhóis é de US 63 mi milhões. Várias dessas empresas estiveram entre as participantes do fórum Brasil-Espanha.

“Ouvimos o relato de casos de sucesso de empresas espanholas no Brasil nos mais diversos setores: financeiro, comunicação, energético, infraestrutura e turismo. E esse sucesso não é só medido pelos resultados financeiros dessas companhias ou pelos lucros que trazem aos seus acionistas. É medido sobretudo pelo impacto positivo por meio da geração de emprego e distribuição de renda. A estabilidade política e o crescimento da economia brasileira voltarão a trazer excelente retorno as empresas espanholas”, reforçou Lula, que defendeu que, “além do crescimento, é essencial que o Brasil retome o seu papel não só nas relações internacionais, mas também na proteção ao meio ambiente, no enfrentamento das mudanças climáticas e em outras questões globais”.

“O dado concreto é que eu voltei a governar o Brasil com o único objetivo, é uma obsessão: recuperar a credibilidade do Brasil diante do mundo, recuperar o processo democrático do Brasil e fazer com que o Brasil volta a ser protagonista, sobretudo na questão climática. O Brasil sabe o potencial que temos em qualquer forma de energia limpa. Um potencial extraordinário, que vamos utilizar para melhorar não só a capacidade produtiva do país, mas a vida do povo brasileiro”, destacou Lula. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui