Comunidade madeirense à espera de encontro com Cafôfo no Brasil

Serão abordados temas como as dificuldades em relação aos serviços consulares e o apoio ao movimento associativo

0
544
Paulo Cafôfo, Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas
- Publicidade -

O programa da primeira viagem oficial de Paulo Cafôfo, Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, ao Brasil inclui passagem pelas Casas da Ilha da Madeira de São Paulo e de Santos. Nessa oportunidade, a comunidade madeirense espera poder abordar as suas dificuldades em relação aos serviços consulares e ao apoio ao movimento associativo.

A visita à Casa da Ilha da Madeira de São Paulo acontece no dia 31, terça-feira. Em declarações à nossa reportagem, o presidente da referida entidade, José Manuel Dias Bettencourt, explicou o que irá solicitar a Paulo Cafôfo.

“A maioria das casas regionais não recebe verba nenhuma do Governo. Parece-me que agora existe um subsídio para um evento só no ano, em que o Governo ajuda, mas isso era muito difícil, porque não era divulgado e as casas não tinham acesso. Agora, o novo cônsul-geral em São Paulo alertou-nos de que a gente pode solicitar esse apoio”, disse José Bettencourt, que revelou que “as nossas maiores reivindicações no Brasil têm a ver com os consulados. Os documentos estavam demorando muito. Parece que agora estão tomando providências para que o processo seja mais ágil”.

Este responsável sublinhou ainda que irá abordar outras reivindicações e que irá solicitar ao Secretário de Estado português que ele seja o interlocutor das casas regionais da Madeira junto do Conselho da Diáspora Madeirense.

Bettencourt não esconde a emoção em receber este governante nas instalações da entidade que preside.

“A Casa da Ilha da Madeira sente-se honrada em recebê-lo (Paulo Cafôfo), porque, além de ser madeirense, ele representa todos os portugueses. É para nós uma satisfação enorme tê-lo na nossa Casa. E também queremos que ele veja o trabalho que estamos realizando de promoção da nossa terra”, frisou Bettencourt.

Por sua vez, Roberto Faria, presidente da Casa da Ilha da Madeira de Santos, entidade que irá receber a visita de Cafôfo na quarta-feira, dia 1 de fevereiro, realçou ser motivo de “orgulho” receber Paulo Cafôfo nas instalações dessa instituição, que se destaca por ter sido “a primeira criada fora do território português da ilha da madeira”.

“Uma vez que Paulo Cafôfo é madeirense, é ainda com mais orgulho que vamos recebê-lo na nossa Casa e na cidade de Santos”, referiu Faria, que mencionou que, além da habitual receção a que têm direito as autoridades que visitam a Casa, serão transmitidos a Cafôfo as dificuldades pelas quais passam as comunidades portuguesa e madeirense em Santos, sobretudo, no que toca aos serviços consulares locais. Apesar do escritório consular em Santos, Roberto Faria defende a necessidade de se apostar num Consulado-Geral na cidade, o que facilitaria e agilizaria o atendimento à comunidade residente em Santos, cidade brasileira geminada com o Funchal, na ilha da Madeira.

Reconhecimento e ações

“Portugal tem uma relação muito especial com o Brasil, onde vivem cerca de um milhão de portugueses e lusodescendentes. Esta relação projeta-se no futuro tendo a nossa comunidade um papel fundamental. Pretendo com esta visita ao Brasil valorizar a nossa comunidade, que goza de grande estima e consideração pelo povo brasileiro, e aproximar esta imensa Diáspora de Portugal”, disse Paulo Cafôfo, durante a sua passagem por Brasília, no último dia 26.

Este governante referiu também que “o movimento associativo tem um importante papel ao qual darei importância e destaque na visita. Em particular, incentivando as diferentes associações a candidatarem-se aos apoios que temos do Estado Português para desenvolverem o seu trabalho”.

“Em 2022, apoiámos, com 162 mil euros, 12 associações no Brasil, números que importa fazer crescer pela dimensão da comunidade portuguesa ali presente”, confirmou Cafôfo.

A visita do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas ao Brasil decorre de 26 de janeiro a 4 de fevereiro. O roteiro inclui visitas, além da capital brasileira, Brasília, às cidades de São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador, algumas das regiões que mais concentram emigrantes portugueses e cidadãos luso-brasileiros nesse que é o maior país da América do Sul.

Segundo dados do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, vivem no Brasil cerca de um milhão de portugueses e lusodescendentes. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui