Chegada da Funcex à Europa promete “revitalizar” conexões entre os países lusófonos

Fundação brasileira foi a primeira a se internacionalizar

0
1210
Equipa da Funcex Europa em Portugal
- Publicidade -

A Funcex Europa, delegação internacional da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex), está há um ano em Portugal, país escolhido para iniciar os trabalhos da entidade fora do Brasil. Esta fundação, que privilegia a conexão do Brasil com os países lusófonos, tem realizado, desde 10 de maio de 2022, diversas ações que visam “intensificar o volume de exportação e importação do mercado comum lusófono com outros regiões do mundo”.

Nos últimos 12 meses, a Funcex Europa manteve uma agenda dinâmica em solo português. A delegação desta entidade brasileira em Portugal participou numa Missão Empresarial da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (FENACON) do Brasil, foi coorganizadora do primeiro Seminário Luso-Brasileiro de Radiodifusão, que se realizou em Lisboa, juntamente com a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), promoveu também a “Bênção dos Surfistas”, em Peniche, durante a terceira etapa do circuito mundial de surf, reunindo diversos jovens e homenageando Guido Vidal França Schäffer, médico e seminarista brasileiro. 

Outro ponto da agenda foi a coorganização do seminário “Relações Comerciais – Brasil – CPLP”, na capital portuguesa, ao lado da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em parceria com o banco português Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Torres Vedras. Durante este evento, dois protocolos “de suma importância” foram assinados com as duas entidades citadas, que prometem “valorizar o empresariado de raiz lusófona”. A Funcex Europa apresentou também o padre Omar Raposo, reitor do Santuário do Cristo Redentor no Rio de Janeiro, como responsável pela vertente Social desta delegação.

“Nos últimos meses, crescemos e criamos novas raízes, fruto também da dinâmica e da relevância dos quase 50 anos de história da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex), que, desde o Brasil, promove um grandioso trabalho de ligação com o mundo na área empresarial e de investimentos. E como estamos sempre abertos à inovação, a Funcex é a primeira Fundação brasileira a se internacionalizar. E Portugal foi o destino escolhido”, explicou Higor Ferro Esteves, diretor geral da Funcex Europa.

Como resultado da chegada a Portugal, após a internacionalização da Funcex, este empresário luso-brasileiro defende que a Fundação na Europa “tem cumprido com êxito as premissas da sua existência, com uma forte aposta no estabelecimento de novos contactos e novas parcerias”.

“Atualmente, temos estreitado trabalhos com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), com o governo central português e com os governos locais em várias regiões deste país europeu. Assinamos também protocolos importantes capazes de modificar o cenário comercial lusófono, realizamos missões na Europa, organizamos eventos, como seminários e encontros empresariais, estudamos geminações entre cidades do Brasil e de Portugal. África, sobretudo os países de língua portuguesa (PALOP), está agora mais integrada no nosso planeamento, nos nossos projetos”, mencionou Higor Ferro Esteves, que comentou que “um dos principais projetos em andamento é o desenvolvimento do ‘COMEX Data CPLP’, aquele que será o maior banco de dados de comércio exterior alguma vez já produzido, uma iniciativa liderada pela Funcex Europa em parceria com a Confederação Empresarial da CPLP (CE-CPLP)”, entidade da qual a Funcex é vice-presidente.

A Funcex Europa conta com quatro diretores em solo português que têm a missão de desenvolver o universo de ações da Fundação nos países europeus. Outro dos objetivos é auxiliar nas tratativas e “empoderamento” das conversações que poderão culminar na assinatura do tão aguardado acordo entre a União Europeia e o Mercosul. Os diretores encontram-se em Lisboa, Cascais e Braga.

“Sabemos que existe ainda muito trabalho a ser feito. Mas estamos convictos de que acertamos ao iniciar a nossa internacionalização em Portugal, localização que nos leva para o mundo dos negócios e das interações em diversos níveis na Europa e no continente africano”, finalizou Higor Ferro Esteves. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui