CEO da EDP Brasil fala sobre tendências para o futuro em evento no Rio de Janeiro

Para o executivo, em meio a essa progressiva abertura, a inovação será fundamental para o futuro dos negócios.

0
162
Empresa distinguida
- Publicidade -

O presidente da EDP no Brasil, João Marques da Cruz, acredita que o mercado brasileiro seguirá a tendência global de liberalização, o que exigirá adaptação de todas as empresas do setor e gerará oportunidades para diversos modelos de negócio. A declaração aconteceu durante o painel CEO Energy, da Rio Innovation Week, considerado o mais completo encontro de inovação e tecnologia da América Latina, encerrado neste domingo.

Para o executivo, em meio a essa progressiva abertura, a inovação será fundamental para o futuro dos negócios.

“Por meio dela, conseguimos nos adaptar a um novo ambiente de negócios, mais competitivo, e criar modelos para ofertar soluções mais sustentáveis e limpas”, afirmou João Marques da Cruz.

Este executivo também apontou a descentralização como uma das principais tendências do setor para os próximos anos.

“Caminhamos para a descentralização da produção e ampliação da participação de novas fontes, como a solar. A matriz energética precisa se adaptar ao novo contexto mundial. Através da inovação podemos encontrar novas formas de geração e armazenamento de energia e de gerar valor para a sociedade”, disse.

O CEO da EDP Brasil ainda destacou a necessidade de investimento numa infraestrutura robusta de transmissão de energia para garantir que a energia gerada pelas novas fontes renováveis consiga chegar a todo o território num país de dimensões continentais como o Brasil.

João Marques da Cruz abordou a importância de avançar na agenda da transição energética diante do ganho crescente de relevância da pauta ESG diante dos investidores e sociedade. Para o presidente da EDP no Brasil, é preciso pensar estrategicamente e colocar em prática ações dessa agenda.

“A importância do ESG é real. A responsabilidade com o meio ambiente, com a sociedade, com as pessoas e com a sua diversidade deve pautar os negócios, gerando valor para todas as partes envolvidas”, complementou.

Em 2021, pelo segundo ano seguido, a EDP foi a considerada, segundo apurámos, a “empresa do setor elétrico mais engajada com o ecossistema de Inovação no Brasil pela plataforma 100 Open Startups. Também criou o primeiro veículo de corporate venture capital do segmento, a EDP Ventures Brasil. A Companhia ocupa também o primeiro lugar no ranking geral do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, mais respeitado índice de ESG do mercado de capitais brasileiro”.  ∎

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui