CCRB apresenta oportunidades do Interior de Portugal durante certame económico em Florianópolis, no Brasil

“Este foi um trabalho realizado ao longo de mais de quatro meses, em Portugal e em Moçambique.", disse Ana Correia, presidente da CCRB

0
252
Evento decorreu dias 28 e 29 de março
- Publicidade -

A Câmara de Comércio da Região das Beiras (CCRB) foi coorganizadora da segunda edição da FINBrasil, considerada a maior feira multissetorial da América Latina, que terminou, segundo os seus organizadores, com um volume de negociações na casa dos 20 milhões de euros, e perspetiva de, pelo menos, mais 100 milhões de euros em negócios futuros através das quatro mil conexões registadas durante a feira. Uma grande comitiva portuguesa e moçambicana, “convidada” pela CCRB, alavancou a participação internacional no certame, com foco na promoção dos seus territórios.

O evento, promovido pela Câmara de Comércio Brasil Portugal de Santa Catarina, levou ao Brasil representantes institucionais e comerciais de 45 países e foi visitado por mais de três mil pessoas entre os dias 28 e 29 de março. Dezassete estados brasileiros estiveram presentes na FIN, que teve mais de 200 stands com empreendedores, além de contar com a presença de políticos e autoridades, como o governador de Sergipe, Fábio Mitidieri, e o Senador Laercio Oliveira, representante do mesmo estado, que estiveram na abertura do evento que também foi prestigiada pelo prefeito de Florianópolis, Topázio Neto, e pela vice-governadora de Santa Catarina, Marilisa Boehm.

A presença portuguesa e moçambicana foi expressiva. Cerca de 30 autarcas do Interior de Portugal estiveram na FIN, pertencentes às Comunidades Intermunicipais da Região da Beira Baixa, como Castelo Branco e Penamacor, Comunidade Intermunicipal Beiras Serra da Estrela, Almeida, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Gouveia, Guarda, Pinhel, Sabugal.

Com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra vieram Arganil, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Lousã, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Pampilhosa da Serra, Penacova, Soure e Vila Nova de Poiares.

Estiveram também presentes os municípios moçambicanos de Lichinga, Nampula e Quelimane. Apesar de terem enfrentado uma catástrofe com a passagem do furação Freddy pela suas cidades, honraram a sua palavram e mostraram que Moçambique, assim como as Beiras, também são uma terra de oportunidades e que merecia acompanhar esta missão coorganizada pela Câmara de Comércio da Região das Beiras.

InovCluster, Grande Hotel do Luso e Termas do Luso, bem como a BMN Global, uma Exposição – Elã Vitale e a Associação Mais Lusofonia fecharam o grupo CCRB e Moçambique.

Estiveram presentes também Luís Faro Ramos, embaixador de Portugal no Brasil, e o Secretário de Estado da Internacionalização de Portugal, Bernardo Ivo Cruz, que referiu a importância de se conectar os dois países através do diálogo e das oportunidades de negócios dos dois lados do Atlântico. Já Luís Faro Ramos destacou que a presença de um número expressivo de presidentes de câmara portugueses no Brasil ao mesmo tempo e num único evento é um facto histórico.

Ana Correia, presidente da CCRB, comentou que “a missão da Câmara de Comércio é fazer a triangulação entre Portugal, Brasil e África, países com um denominador comum; a língua portuguesa que os une”.

“Este foi um trabalho realizado ao longo de mais de quatro meses, em Portugal e em Moçambique. Permitiu-nos captar a atenção das autoridades portuguesas e africanas, sobretudo do Interior de Portugal, que tiveram a oportunidade de mostrar as suas potencialidades em termos de produtos e de oportunidades de investimentos e de negócios. Atravessaram o Atlântico para mostrar que a região das Beiras é uma região de Alta Intensidade e não de um Interior de Baixa Densidade”, disse Ana Correia, que ressaltou ainda que “a CCRB e a BMV GLOBAL estabeleceram um protocolo (entre muitos outros estabelecidos na FIN), e juntos querem ajudar a diferenciar as empresas que de facto procuram atingir a sustentabilidade das que ignoram o tema ou que mascaram os impactos das suas ações”.

Através do Selo Sustentabilidade Tesouro Verde, certificou-se que a CÂMARA DE COMERCIO DA REGIÃO DAS BEIRAS tornou-se aderente às práticas ESG, tornando-se na primeira Câmara de Comércio a ter o Selo Verde. Quem tem ou adere a este selo vai guiar o comportamento das empresas, entidades, pelos próximos anos e impulsionar a adoção de boas práticas em todas as esferas das organizações. Para além de ser uma tendência, o conceito ESG surgiu para adequar as empresas aos desejos dos consumidores e da população em geral.

Durante a FIN, que, através da CCRB também obteve o Selo de Sustentabilidade, as comitivas de Portugal e de Moçambique assinaram protocolos com entidades e autoridades do Brasil com vistas à realização de eventos bilaterais e com o intuito de realizarem negócios.

No “Palco 360”, houve apresentações da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, município de Castelo Branco, Associação Mais Lusofonia, Moçambique e de António Carlos Albuquerque, da Câmara Municipal de Coimbra e da Câmara de Comércio da Região das Beiras.

Em Florianópolis, antes da abertura oficial da feira, portugueses e moçambicanos visitaram o centro histórico da cidade, participaram num evento da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) no Museu da Escola Catarinense e foram recebidos na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC).

A FINBrasil 2023 reuniu mais de 200 expositores e confirmou uma nova edição em abril de 2024 também em Florianópolis e terminou em beleza, com cultura. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui