Brasil é homenageado e tem sua literatura infantojuvenil como ponto de partida para celebrar outras artes no âmbito do bicentenário da sua Independência

"O local escolhido faz parte da história de Portugal"

0
65
Bandolinistas de Oeiras
- Publicidade -

A segunda Festa Infantojuvenil da Língua Portuguesa decorreu entre os dias
16 e 22 de maio no Templo da Poesia, localizado no Parque dos Poetas, em
Oeiras, Portugal.

Artistas e personalidades brasileiras, como Pedro Luís, Daniel Munduruku,
Roberto Bomtempo e Antônio Grassi, entre outros, se juntarão a nomes de
destaque da literatura lusófona, como Luísa Ducla Soares, Mário de
Carvalho, Inês Fonseca Santos e João Maio Pinto.

No dia 16 de maio, a cultura brasileira teve um encontro marcado
com a cultura portuguesa, tendo como marco o Bicentenário da
Independência do Brasil. A cidade de Oeiras, no país europeu, recebeu a segunda edição da Travessia das Letras – Festa Infantojuvenil da Língua Portuguesa, que aconteceu até 22 de maio no Templo da Poesia, localizado no Parque dos Poetas, com uma programação cujo destaque é o Brasil.

O local escolhido faz parte da história de Portugal: a área de 22 hectares foi
tombada e tem, sob a forma de esculturas, 60 poetas representados – 50
deles portugueses e 10 de países ou territórios lusófonos.

“Vamos ampliar a Festa da Língua Portuguesa para além das atividades
relacionadas à literatura, agregando outras expressões artísticas, tais
como teatro infantil, cinema de animação e também música, sempre
tendo como ponto de partida a literatura infantojuvenil e celebrando
grandes nomes da literatura brasileira, que vão participar de mesas de
debates junto a autores portugueses”, anunciou a arquiteta luso-brasileira
Claudia Pinheiro, idealizadora do evento.

O evento, cuja 1ª edição aconteceu no ano de 2019, contou com o
patrocínio da Câmara Municipal de Oeiras, Portugal, e do Município de
Oeiras, no Piauí – as duas são “cidades irmãs”. Com pouco menos de 40
mil habitantes, em 2021, o município piauiense foi identificado pela
Representação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a
Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil como case de gestão educacional
inovadora, o que motivou a Organização a promover uma pesquisa para
investigar as razões do sucesso do município, com o título “Boas práticas
de gestão em educação municipal: o caso de Oeiras (PI)”.

“Pelo fato de possuir convergência com as diretrizes e os princípios da
UNESCO nos campos da cultura, desenvolvimento social e cidadania
global, a Travessia é realizada em cooperação técnica com a nossa
Representação no Brasil”, destacou Marlova Noleto, representante e
diretora da UNESCO no Brasil.

Entre as atrações brasileiras, será realizada a oficina teatral da peça “Pluft,
o fantasminha”, de Maria Clara Machado (1921-2001) – homenageada por
seu centenário –, ministrada por Cacá Mourthé e Ricardo Kosovski, assim
como sua encenação, da qual participarão os atores Roberto Bomtempo e
Miriam Freeland. Ailton Krenak terá o seu livro “Ideias para adiar o fim
do mundo” adaptado para encenação. Já o músico Pedro Luís realizará
uma oficina de ritmo brasileiro, a partir de “Carinhoso”, uma das canções
mais importantes da obra do maestro, instrumentista e compositor
Pixinguinha (1897-1973). Diversos autores portugueses, entre eles Luísa
Ducla Soares, Mário de Carvalho, Inês Fonseca Santos e João Maio Pinto,
também irão narrar as obras brasileiras representadas no evento. A
programação completa com as atrações pode ser conferida aqui:
https://travessia2022.wixsite.com/travessia2022

A Travessia das Letras conta ainda com os apoios institucionais da Missão
do Brasil na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), do Plano
Nacional de Leitura (PNL2027) e da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE),
estas duas últimas organizações portuguesas, além do Outbêco, rede de
franquias brasileiras com presença em Portugal.

O evento teve entrada livre. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui