Bicentenário da independência do Brasil será celebrado com a presença de Bolsonaro, Marcelo Rebelo de Sousa e o coração de D. Pedro I em Brasília

Coração do monarca chegou ao Brasil no dia 22 de agosto

0
550
Autoridades diplomáticas acompanham o desembarque de D. Pedro I em solo brasileiro
- Publicidade -

No ano em que o Brasil celebra o bicentenário da sua independência o símbolo maior das celebrações é o coração de D. Pedro I. Transportado de Portugal para o Brasil num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), o órgão de um dos nomes mais sonantes da história brasileira chegou ao país numa urna dourada no dia 22 de agosto. O voo entre os dois países foi realizado por uma aeronave VC-99 do Grupo de Transporte Especial (GTE) e a receção ocorreu com honrarias numa cerimônia na Base Aérea de Brasília, onde foi recebido por autoridades como o embaixador de Portugal no Brasil, Luiz Faro Ramos, e o Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, entre outros. O avião que transportou a urna foi escoltado para o espaço aéreo brasileiro por caças e recebeu uma receção de chefe de estado no aeroporto.

O coração do primeiro imperador brasileiro foi “emprestado” pela nação portuguesa como “símbolo das relações entre o Brasil e Portugal”.

“A gentil cessão pelo governo português, atendendo à tão importante efeméride para a nossa nação, traduz o respeito mútuo e os laços indissolúveis de irmandade que unem brasileiros e portugueses, selados no tratado de paz, amizade e aliança de 1825”, disse o ministro da Defesa do Brasil.

O retorno a um dos seus lares…

Antes de viajar até ao Brasil, o coração de D. Pedro I esteve exposto no salão nobre da Igreja da Irmandade da Lapa, localizada na cidade do Porto, por quase 200 anos. Esta é a primeira vez, em 187 anos, que o coração sai de Portugal para outro país, uma iniciativa que conta com críticas por parte de especialistas, que asseguram que o órgão pode sofrer danos durante as viagens e mudanças de temperatura.

O coração de D. Pedro I foi apresentado no Palácio do Planalto e no Palácio do Itamaraty. A relíquia está exposta em Brasília à visitação pública de 25 de agosto a 5 de setembro. A exposição “Um coração ardoroso: vida e legado de D. Pedro I”, no Palácio do Itamaraty, está aberta para a visitação de escolas da rede pública do Distrito Federal nos dias da semana, de terça a sexta-feira. Já o público geral poderá conferir a mostra apenas nos fins de semana.

No dia 7 de setembro, data da independência do Brasil, está prevista a “participação” do coração nas celebrações que irão decorrer na capital brasileira com a presença de várias autoridades nacionais e internacionais, com destaque para as luso-brasileiras.

De Brasília, o coração será transportado para o Rio de Janeiro, onde será exposto no Museu Histórico e Diplomático do Itamaraty, uma edificação oitocentista, de grande valor histórico e artístico, situada no Centro da cidade do Rio de Janeiro. O palácio foi sucessivamente residência nobre, sede do governo republicano e sede do Ministério das Relações Exteriores. O coração de D. Pedro I retorna ao Porto no dia 9 de setembro.

Traslado autorizado

A estada temporária do coração de D. Pedro I conta com a autorização obtida por votação unânime da Câmara Municipal do Porto. A relíquia chegou a Brasília acompanhada pelo presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

“A vinda do coração de D. Pedro I ao Brasil será uma oportunidade para que o povo brasileiro homenageie a figura central para o processo de independência do Brasil”, disse fonte do governo brasileiro.

Antes de seguir para o Brasil, o coração de D. Pedro IV, como é conhecida esta figura em Portugal, foi visitado por mais de duas mil pessoas que puderam observar pela primeira vez a relíquia que o rei deixou à cidade do Porto.

O português Rui Moreira e o embaixador do Brasil em Portugal, Raimundo Carreiro Silva, assinaram o protocolo da trasladação temporária da relíquia, na presença de várias personalidades do meio diplomático português e brasileiro.

Nesta oportunidade, marcou presença também o embaixador Francisco Ribeiro Telles, coordenador nacional das comemorações do bicentenário da independência do Brasil, bem como diversas personalidades diplomáticas e entidades da cidade do Porto.

Segundo apurámos, “a assinatura deste protocolo responde às preocupações manifestadas pela Câmara Municipal do Porto, garantindo o lado brasileiro que serão tomados os cuidados necessários para o devido transporte e exposição temporária do coração do monarca no Brasil”.

A Embaixada do Brasil em Lisboa “assegurou que vão ser tomados os cuidados necessários para o devido transporte e exposição do coração do rei em solo brasileiro, sublinhou que a relíquia viajará em ambiente pressurizado, atendendo desta forma às preocupações manifestadas pelo presidente da Câmara Municipal do Porto e ao parecer técnico”.

“Assim, a integridade e a segurança da relíquia, desde o momento da sua partida da cidade do Porto, até ao seu posterior regresso, vão seguir rigorosamente as condições técnicas adequadas, segundo os mais elevados níveis disponíveis pelo atual conhecimento científico”, disse o governo brasileiro.

“Eu vejo a vinda do coração como uma oportunidade de homenagearmos a figura central do processo de independência do Brasil. Foi Dom Pedro quem outorgou a nossa primeira Constituição. Com essa homenagem, celebramos também o país que nos tornamos”, disse o embaixador George Monteiro Prata, coordenador do grupo de trabalho do Itamaraty para o bicentenário da independência do Brasil.

Presidente português nas cerimônias

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, irá participar, no dia 7 de setembro, às 8h30, no desfile Cívico-Militar por ocasião das comemorações do bicentenário na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

As cerimônias em solo brasileiro irão contar ainda com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal. Segundo informações às quais tivemos acesso, o presidente luso estará em visita oficial ao Brasil entre os dias 6 e 9 de setembro, passando por cidades como Brasília, onde fica de 6 a 8, e Rio de Janeiro, onde manterá agenda nos dias 8 e 9, retornado a Lisboa no início da tarde do dia 9.

A agenda completa do presidente português no Brasil está ainda a ser finalizada, porém, está confirmada a sua presença no dia 7 de setembro em Brasília durante a cerimônia militar dos 200 anos de independência. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui