Administrador e Fundador do Grupo Germano de Sousa será homenageado pela Academia Portuguesa de Fibromialgia na Covilhã

Em destaque estão as suas “múltiplas contribuições para o campo da medicina em Portugal”

0
1118
Professor Doutor Germano de Sousa, Administrador e Fundador do Grupo Germano de Sousa e diretor técnico coordenador do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa
- Publicidade -

O médico especialista em Patologia Clínica e Professor Catedrático Germano de Sousa vai ser o novo homenageado da Academia Portuguesa de Fibromialgia, Síndrome de Sensibilidade Central e Dor Crónica, numa cerimónia a ter lugar no dia 12 de abril, sexta-feira, pelas 16h, no anfiteatro 8.1 da Faculdade de Engenharia da Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, região Centro de Portugal, num espaço situado na Calçada Fonte do Lameiro (S. Martinho).

Em destaque, segundo apurámos, estão as suas “múltiplas contribuições para o campo da medicina em Portugal” por parte deste profissional, que é Administrador e Fundador do Grupo Germano de Sousa e diretor técnico coordenador do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa.

“O Prof. Doutor Germano de Sousa é conhecido pela sua excelência profissional como Médico Patologista Clínico e, por anos, de diversas intervenções que representam um marco significativo na sua carreira para o campo da medicina em Portugal. A sua nomeação como Académico de Número visa reforçar o seu compromisso com o avanço do conhecimento e o apoio aos doentes com condições crónicas”, defendeu José Luis Arranz Gil, presidente da Academia Portuguesa de Fibromialgia, Síndrome de Sensibilidade Central e Dor Crónica, diretor da Unidade de Fibromialgia, Síndrome de Sensibilidade Central e Dor Crónica na Mutualista Covilhanense e professor da Faculdade de Medicina da Universidade da Beira Interior (UBI), também na Covilhã.

O evento conta com a parceria da Associação Mutualista Covilhanense, da Universidade de Beira Interior e da Faculdade de Ciências de Saúde da UBI e “demonstra o compromisso contínuo destas instituições em promover o avanço da medicina e melhorar a qualidade de vida dos doentes com fibromialgia”.

Dentre outras funções, o Professor Doutor Germano de Sousa é Professor Catedrático na Universidade Atlântica, localizada em Oeiras, Portugal

Durante a cerimónia, o Professor Doutor Germano de Sousa proferirá um discurso de aceitação como académico intitulado: “Contribuições da Patologia Clínica para o Diagnóstico Diferencial e Orientação Etiológica da Fibromialgia”. Em nome da Academia, o discurso de resposta será proferido pelo Prof. Doutor José Luis Arranz Gil, presidente fundador da Academia e professor da Faculdade de Ciências da Saúde da UBI. O encerramento da sessão ficará a cargo do ilustre presidente da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior, Prof. Doutor Miguel Castelo-Branco Craveiro Sousa.

“Estão convidados todos os que desejem assistir à esta nobilíssima cerimónia e, dessa forma, agraciar, com a sua presença no ato, aquele que tanto tem feito por Portugal e pelo seu povo”, reforçou João Morgado, vice-presidente da Academia Portuguesa de Fibromialgia.

Segundo fontes, o evento de homenagem servirá também para recordar Carlos Silva, um dos membros da direção da Academia Portuguesa de Fibromialgia, falecido no último mês de março.

Sobre José Germano de Sousa

Atualmente, José Germano de Sousa é Médico Patologista Clínico pela Ordem dos Médicos e European Clinical Chemist pela EFCC [European Federation of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine]; professor catedrático e diretor do Colégio de Ensino Pós-Graduado da Universidade Atlântica; diretor do Serviço de Patologia Clínica do Hospital Fernando Fonseca; conselheiro do Conselho Nacional de Ética das Ciências da Vida. Preside à Sociedade Portuguesa de Química Clínica e é sócio da New York Academy of Sciences. Preside à Administração e é o diretor clínico do Grupo Germano de Sousa, que inclui todos os Centros de Medicina Laboratorial Germano de Sousa.

No passado, foi professor associado da Faculdade de Ciências Médicas, durante 20 anos, onde fundou o Curso de Mestrado em Patologia Química; diretor dos Serviços de Patologia Clínica dos hospitais do Desterro e dos Capuchos. Presidiu à Sociedade Portuguesa de Patologia Clínica, à Sociedade Portuguesa de Osteoporose e Doenças Metabólicas e à Associação Nacional dos Laboratórios Clínicos. De janeiro de 1999 a fevereiro de 2005, foi bastonário da Ordem dos Médicos. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui