Presidente da EDP Brasil, Miguel Setas é agora o novo CEO porta-voz do Pacto Global da ONU

Executivo atuará em prol do ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis, junto a stakeholders da cadeia de valor do setor elétrico, governos e influenciadores em geral

0
43
Miguel Setas, presidente da EDP Brasil
- Publicidade -

Miguel Setas, presidente da EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, foi anunciado pela Rede Brasil do Pacto Global, da ONU, como CEO porta-voz do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 11 (ODS 11) – Cidades e Comunidades Sustentáveis – na iniciativa Liderança com ImPacto. A escolha levou em consideração o envolvimento da EDP com o ODS defendido, análise reputacional da Companhia e de seu CEO, bem como o nível de engajamento e alinhamento com as premissas e compromissos propostos pela iniciativa no País. As lideranças selecionadas para cada ODS atuam como mobilizadoras da sustentabilidade dentro e fora de suas empresas, contribuindo para o fortalecimento das metas da Agenda 2030 em conjunto com stakeholders da cadeia de valor, com governos e influenciadores em geral.

“O desafio do pós-pandemia está profundamente ligado ao propósito do ODS 11: tornar as cidades e comunidades mais inclusivas e sustentáveis. Temos diante de nós a oportunidade de construir um novo normal, de promover uma retomada mais verde e humana. A mobilização das lideranças empresariais será decisiva para que a Década da Ação se concretize e as metas da Agenda 2030 se tornem realidade. O setor energético, em especial, tem uma contribuição crucial para frear o avanço da Emergência Climática, pelo papel transversal da energia no setor produtivo, nos transportes e na residência das pessoas”, afirma Miguel Setas.

Com uma pauta voltada à sustentabilidade, inovação e responsabilidade social, sob a gestão e Miguel Setas, a EDP tem avançado na oferta de serviços geração de energia solar, mobilidade elétrica e eficiência energética e tornou-se reconhecida por projetos emblemáticos, como a instalação do primeiro corredor de carregadores para automóveis elétricos entre Rio e São Paulo e o anúncio da implantação da primeira e maior rede de recarga ultrarrápida de veículos elétricos da América do Sul.

Na frente da Responsabilidade Social, a EDP é principal patrocinadora da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa e a primeira patrocinadora máster da recuperação do Museu do Ipiranga – um investimento total de R$ 32 milhões. Neste ano, a Companhia destinou mais de R$ 10 milhões a ações de enfrentamento da pandemia, como compra de respiradores e EPIs para a rede pública de saúde, realização de obras elétricas de hospitais de campanha e doação de 350 toneladas de alimentos e kits de higiene pessoal a comunidades vulneráveis e povos indígenas. Ao todo, essas iniciativas beneficiaram mais de 400 mil pessoas em todo o Brasil.

O estímulo da companhia às cidades sustentáveis passa ainda pela cultura de inovação aberta, baseada na colaboração entre agentes internos e externos, como o ecossistema empreendedor de startups, parceiros de negócios, clientes, instituições acadêmicas, órgãos reguladores, entre outros. Dentre as iniciativas na área destacam-se o EDP Starter e a EDP Ventures Brasil. O primeiro é um programa de aceleração de negócios com startups que atuam nas verticais de energias limpas, soluções para clientes, inovação digital, armazenamento de energia, redes inteligentes, acesso à energia e inovação em processos internos. Já a EDP Ventures é o primeiro veículo de venture capital do setor elétrico brasileiro, com orçamento inicial de R$ 30 milhões e investimento em seis startups até o momento. Em 2020, a EDP foi considerada a empresa mais inovadora do setor no ranking Valor Inovação, do jornal Valor Econômico, que, em 2019 e 2020, também elegeu Miguel Setas como o melhor CEO do setor elétrico.

Agenda ESG

Em 2020, a EDP Brasil submeteu à Organização das Nações Unidas (ONU) o compromisso de reduzir suas emissões para garantir que o aquecimento global não exceda 1,5°C, aderindo ao Business Ambition for 1,5ºC – Our Only Future. Para isso, a Companhia comprometeu-se a garantir que, até 2030, 100% da energia que gera sejam provenientes de fontes renováveis.

A companhia também aderiu ao Recover Better, uma iniciativa global que propõe a governos e empresas de todo o mundo alinhar seus esforços de recuperação e ajuda econômica relacionados à crise da Covid-19 com base nos mais recentes estudos climáticos. A EDP assumiu o compromisso de garantir que, até 2030, 100% da energia gerada pela empresa será de origem renovável.

Além disso, a Companhia subscreve o Compromisso Empresarial Brasileiro para a Biodiversidade, iniciativa do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) que endossa o comprometimento da EDP com a prevenção, mitigação e compensação de impactos sobre a diversidade, além da geração de compartilhamento de informações sobre o tema. ■

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui